Emilio Féo

Emilio Féo

Cura e libertaçâo


O que é Libertação?
A palavra LIBERTAÇÃO vem do grego “sotero“ e significa “livramento, salvação”.
Em João 10. 10, a palavra do Senhor diz que: “O ladrão (diabo) veio para matar, roubar e destruir”, mas Jesus, o Rei dos Reis, o Senhor dos Senhores, o Alfa, o Omega, o Todo Poderoso, o Majestoso, o Cordeiro de Deus, o Príncipe da Paz, veio para SALVAR, LIBERTAR e RESTAURAR.
As obras de Jesus e do Diabo são obras antagônicas.
JESUS
DIABO


SALVAR
LIBERTAR
RESTAURAR
MATAR
ROUBAR
DESTRUIR

O objetivo de satanás na terra é o de matar, roubar e destruir as pessoas. Ele é perspicaz, inteligente, conhecedor da Palavra de Deus, usa e usará de todas as estratégias malignas para impedir que as pessoas sejam salvas, libertas e restauradas.
            È claro e ao mesmo tempo assustador, sobre a revelação sobre como o exército de satanás e suas hostes malignas atuam, principalmente sobre o povo de Deus, e não há como contestar a seguinte realidade:
ORGULHO, RETIDÃO PRÓPRIA, AMBIÇÃO PESSOAL, JULGAMENTO INJUSTO, INVEJA, TRAIÇÃO, ACUSAÇÃO, FOFOCA, CALÚNIA, CRÍTICA, REJEIÇÃO, AMARGURA, IMPACIÊNCIA, FALTA DE PERDÃO, COBIÇA DEPRESSÃO, ETC. São bandeiras levantadas pelas hordas do inferno e não levantadas por Deus.
Quem precisa ser Liberto? “Todos seria a resposta mais correta, porque a Palavra de Deus diz em I João 1:8-10:” E completa em I João 3:8-9.
            Se partir do princípio de que todo homem a partir da queda original carrega a natureza adâmica, por isso é propenso ao mal, já seria o suficiente para dizer que ele necessita ser liberto, porque o pecado nos traz cativos ao diabo. 
 Existem três níveis de libertação:
1. Libertação do nosso espírito no momento em que nascemos de novo (só feita pelo Espírito Santo) – ver Efésios 2:1-3 e João 3:6
2. Libertação da alma – ver Hebreus 12; 1 e I Coríntios 10:4-5
3. Libertação de enfermidade física – ver Lucas 13.10-17
             “A cruz é o centro de tudo. Também nela, Cristo levou todas as maldições:” Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele própria maldição em nosso lugar, porque está escrito: "Maldito todo aquele que for pendurado em madeiro”. (Gálatas 3.13). Se o texto em apreço está claro, quando diz que Cristo se fez maldição em nosso lugar, porque tratamos do tema: “quebra de maldições”? Para responder a esta pergunta, temos que considerar que há duas formas através das quais as pessoas concebem a cruz de Cristo.
            Um primeiro grupo tem uma visão imediatista: Aceita que a obra de Cristo na cruz é plena e suficiente, e que, assim que o ímpio se entrega a Cristo, automaticamente passa a experimentar por completo toda a provisão do Calvário. Este grupo aceita que todo o conteúdo e todas as promessas da cruz são automaticamente imputados sobre o crente no momento da conversão. 

            Outro grupo tem a visão apropriativa (processual): Este grupo também aceita que toda a obra do Calvário é plena e suficiente, mas descrê sobre o fato de que o crente no momento em que aceitou a Cristo passe a experimentar concretamente toda provisão e promessas contidas na cruz. Crê que no momento da conversão o neoconverso” NOVO CONVERTIDO “passa a experimentar a provisão de Cristo na cruz, mas não de forma plena.
            O estudo da Palavra e a apropriação das promessas serão fundamentais no processo de experimentação da obra vicária de Cristo. Eu particularmente, tenho seguido a “visão apropriativa da cruz”.
            Os pecados da humanidade já foram levados para a cruz, mas o homem precisa apropriar-se disso (confessando) para ser perdoado. Nossas enfermidades já foram levadas na cruz, mas precisamos nos apropriar disso. Da mesma forma as maldições. O fato é que muitos crentes estão na mais completa ignorância quanto ao que Cristo fez por eles na cruz.
            Cristo levou seus pecados, mas vivem solapados pela culpa. Já levou suas enfermidades, e seus corpos estão sendo constantemente assediados por doenças diversas.
            No que tange à maldição, a mesma coisa. O profeta disse: Portanto, o meu povo será levado cativo, por falta de entendimento (Isaias 5.13). A ignorância nos fará pagar um alto preço, já que Deus nos faz responsáveis por tudo aquilo que deixou escrito em sua Palavra.
            Quantas vezes o diabo tem nos impedido de enxergarmos as promessas de Deus para nós, e passamos a viver como miseráveis!
            O apóstolo Paulo escreveu: “Bendito o Deus Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo”. (Efésios 1:3).
            O texto está claro: Deus nos abençoou com todas as bênçãos. Fico a pensar se pelo menos uma boa parte dos crentes espalhados pelo mundo tem ao menos 50% dessas bênçãos É bem provável que não. Mas, qual é o problema? O problema é que o apóstolo diz que as bênçãos estão nos lugares celestiais. É necessário que aprendamos meios eficazes dentro da Palavra de Deus, para transportarmos o que é nosso dos lugares celestiais para o mundo material.
A confissão apropriativa é com certeza um das formas que Deus providenciou para isso, para experimentarmos em nossa vida os benefícios que foram alcançados para nós. Cristo não deixou inacabada nenhuma parte da obra da nossa salvação; mas não devemos inferir disso que já possuímos todos os benefícios obtidos por ele para nós, pois com verdade: “... Em esperança, somos salvos" (Rm 8:32), “ ainda não se manifestou o que haveremos de ser” (I João 3:2). Nesta “vida atual desfrutamos de Cristo na medida em que o abracemos por meio das promessas”.
 Que fique claro o fato de que a boa obra de Cristo na cruz é plena, suficiente e nada pode ser acrescentado; mas, de igual forma, o crente deve ter ciência de que pela importância e crucialidade dessa obra, o diabo fará de tudo para que o cristão não enxergue e muito menos desfrute com profundidade aquilo a que tem por direito. 
Crente pode ficar endemoninhado?  
Este também é outro assunto que causa polêmicas e controvérsias, mas nosso objetivo aqui não é trazer um fórum de discussões sobre o assunto, e sim, trazer à luz da Palavra de Deus (Bíblia Sagrada), esclarecimentos dentro daquilo que já pesquisamos sobre o assunto. “O crente pode ou não ficar endemoninhado?”
No livro “Batalha Espiritual” de Matiko Yamashita, a autora esclarece que endemoniamento significa “ter demônios”. No grego “Daimonizomai ou Daimonozomenai”. Na antropologioa e na sociologia, costuma-se usar a palavra possessão, com o significado de incorporação. A possessão integral do homem, espírito, alma e corpo, só Deus pode possuí-lo.
Os demônios atuam mais na alma (mente e emoção) e no corpo físico visando à destruição do espírito humano. As pessoas endemoniadas são irritadas e nervosas, pois eles atuam diretamente no sistema nervoso.
            Na visão dada a Rick Joyner ele vê os demônios montados nas costas dos crentes, fazendo-os de cavalo. (Livro “A Batalha Final”). Não vai muito longe essa verdade, que até mesmo a expressão usada pelos umbandistas é que “fulano é cavalo do guia tal”, ou seja, o guia tal, monta, desce, incorpora, no fulano. E você pode até dizer: Mas isso acontece com quem dá legalidade. Dentro de um centro espírita, e aqui estamos falando de crentes! E te respondo amado (a): Quando damos vazão ao ódio, à inveja, à calúnia, à fofoca, à amargura, ao orgulho, à ambição, à traição, e tantos outros sentimentos e atitudes negativas, que não são enviados por Deus, é como se no reino do espírito abríssemos uma porta e disséssemos ao diabo: Entra, a casa é toda sua. E ele monta nas nossas costas e faz à festa, essa é a verdade. Não podemos mais usar máscaras! Estamos nos finais dos tempos, a volta do Senhor Jesus é mais do que eminente, e não podemos achar que porque sou crente não estou sujeito a opressões demoníacas. O diabo quer mesmo é destruir o exército de Deus, então ele vai atacar a nós, crentes que somos o exército inimigo dele! 
Compreendendo as realidades espirituais
INTRODUÇÃO
A Palavra de Deus nos diz em I Jo 5.19 “o mundo inteiro está no maligno” (versão Thompson). Sabemos que paralelo ao mundo físico que vemos e apalpamos existe o mundo espiritual, que rege o físico, e que as coisas antes de acontecerem no mundo físico acontecem primeiramente no espiritual.
Quando entendemos essa realidade, torna-se mais fácil compreender determinadas situações que ocorrem no mundo e porque João faz essa afirmativa tão assustadora; “o mundo inteiro está no maligno”. Antes de nos converter, muitas vezes dormimos chorando porque havia as guerras, as destruições, a fome, as mortes. E eu sempre nos perguntava: Onde está Deus que não vê nada disso? Porque Ele não faz alguma coisa? Porque o mundo não tem paz? Se Ele que pode não faz nada, então eu não preciso de Deus.
Hoje, na medida em que estamos conhecendo a Palavra de Deus, entendemos porque “o mundo inteiro está no maligno”. Uma vez que vivemos ainda nesse mundo, o que precisamos, é saber guerrear continuamente contra as opressões, depressões, possessões, maldições, e tantas outras coisas que satanás tenta armar contra o povo de Deus.
            Todos os dias conviveram com essas realidades espirituais em nossa cidade, no bairro, na rua, nos lares. Daí a necessidade de fazer um mapeamento do bairro, ungir a rua, as casas, começar a reunião com batalha espiritual; porque estão todos a postos, armados até os dentes, e prontos para atacar e trazer confusão para a célula. Não se vence uma batalha espiritual apenas se revestindo com a armadura e empunhando a espada. É preciso conhecer o inimigo, suas estratégias e seu arsenal, para contra-atacarmos com armas mais poderosas e no nome de Jesus lançar todos por terra.

Agora, vamos entender como eles agem:
OPRESSÃO
A palavra opressão no dicionário português significa: sobrecarregar com peso, apertar, comprimir, pressão que esmaga, sufoca. Podemos ver e sentir os reflexos da opressão por toda parte, porque essa é a função dos demônios, oprimir a humanidade. A opressão é um nível de ação satânica a qual todos estamos sujeitos – cristãos e não-cristãos, em graus de intensidade diferentes. Vários personagens bíblicos passaram por opressão demoníaca.
1.    Adão e Eva (Gn. 3.17)
2. O Povo de Israel ( Ex. 3:9)
3. Saul (I Sam 16.14-15)
4. O Sumo Sacerdote Josué (Zc. 3.1)
5. Pedro (Mt. 16: 21-23)
6. Jesus ( Mt. 4.1-11)
7. Judas (Jo 13.2)
8. Paulo ( II Co 12:7-10 / I Tess. 2:18)
9. Ananias e safira (At. 5.1-11)
10. Jó (Jó 1)
            Não podemos ser afligidos pela opressão e desanimar. Temos que enfrentá-la e não descansar enquanto ela não cair por terra. A opressão não combatida abre portas para a depressão e em muitos casos para a possessão demoníaca.
É preciso combater o problema na base, e várias situações é a base para que a opressão se instale:
1.    Pecado – Quanto maior, maiores as opressões
2.    A vontade do inimigo – Quanto mais frutificamos para o Reino de Deus, mais ataques o inimigo investirá contra nós. São os “dias maus”.
3.    Descuido da Batalha – Não temos que Ter medo do inimigo, mas também não podemos ser negligentes com a vigilância. A oração de intercessão diária é fundamental.          
4.    A Vontade de Deus – Às vezes Deus permite passarmos por opressões do inimigo para nos provar e para forjar o caráter de cristo em nós.
A opressão pode se manifestar de 3 maneiras: no corpo, na alma (mente) e nas circunstâncias.
NO CORPO:
1.         Doenças e distúrbios orgânicos: dor de cabeça, falta de ar, dor na coluna, enjôo, pontadas no corpo, sonolência, insônia, inchaço do corpo ou da cabeça, desmaios, convulsões, etc.
Entretanto, antes de afirmar que é opressão, é preciso verificar alguns aspectos importantes:
a) verificar como a enfermidade se originou;
b) se a pessoa já foi ao médico e há um diagnóstico;
c) se a atuação e a dor são constantes e inexplicáveis;
d) qual o nível de contato da pessoa com o ocultismo;
e) se alguém na família sofre a mesma enfermidade (hereditariedade);
f) se alguém lançou alguma praga e em seguida a enfermidade originou;
g) como foi o passado da pessoas, se há feridas;
h) se a pessoa guarda mágoas profundas
2.    Ataques violentos sobre o corpo, com queimações vindas da planta dos pés até a cabeça, com suores, tonteiras e dores na cabeça.
3.    Fortes compulsões para as obras da carne. Há uma ação específica de demônios por detrás de cada obra da carne.
NA ALMA (MENTE):
A mente é o maior campo de batalha entre o homem e satanás. As forças malignas tentam se aproximar o máximo de nossa mente, lançando setas para alterar nossas emoções e personalidade e tentar determinar o que devemos sentir, pensar, ser e agir. Com isso, eles tentam controlar nossa vontade própria, substituindo-as pelas deles.
NAS CIRCUNSTÂNCIAS:
Os demônios agem nos acontecimentos que nos cercam no dia-a-dia: problemas familiares, financeiros, perseguições, amarras em geral (o dia não rende, as coisas não acontecem e você não produz nada) enfermidades. Tentam com isso nos abalar psicologicamente e enfraquecer nossa comunhão com Deus através desse tipo de opressão. A opressão, tanto no corpo como na alma e nas circunstâncias, se não for combatida, leva a pessoa à depressão.
DEPRESSÃO
A depressão é um domínio um pouco mais acentuado que a opressão, pois as forças da pessoa são minadas a tal ponto que ela começa a se entregar ao desânimo e apatia. A pessoa não quer conversar e ver ninguém (normalmente o depressivo tem tendência a ficar sozinho num local escuro – induzido pelas forças malignas). Normalmente se não tratado, a depressão leva ao suicídio.
POSSESSÃO
            A possessão demoníaca se dá quando um ou mais demônios se apossam e permanecem no corpo de uma pessoa, assumindo total controle da mente e do corpo. Nesse caso, a personalidade fica totalmente escravizada. É uma situação muito lamentável de se ver.
A possessão demoníaca causa mudanças na pessoa como:

MUDANÇA DE PERSONALIDADE: Catatonia; Violência e acesso de fúria; Subir em árvores, como animal; Choros; Bramidos; Cuspe; Gritos e berros; Tosse; Tremedeiras; Latidos; Rastejar como cobra; Zombaria e Orgulho.
MUDANÇA FÍSICA: Afeta a voz; Babas; Sintomas epilépticos; Olhos vidrados e parados
            MUDANÇA MENTAL: Capacidade anormal – telepatia, levitação, premonição, línguas desconhecidas (xenoglossia – muito parecida com a língua dos anjos).
            MUDANÇA ESPIRITUAL: reage com violência à confissão da Palavra, Louvor, Oração.
            Como saber se uma pessoa está sofrendo influências demoníacas? (opressão, depressão, possessão etc.):
            NO ASPECTO ESPIRITUAL:
1.    Oposição ao Evangelho
2.    Fechado à ação do Espírito
3.    Descrença absoluta
4.    Dureza de coração
5.    Falta de paz interior
6.    Farisaísmo religioso
7.    Fanatismo
8.    Superstição
9.    Idolatria
10. Mediunidade
NO ASPECTO PSICOLÓGICO:
1.    1.    Nervosismo
2.    Medo
3.    Insônia
4.    Desejo de suicídio
2.    Abrasamento sexual
3.    Desequilíbrio emocional
4.    7.    Depressão
8.    Ressentimento
9.    Ódio
10. Mágoa
5.    Mania de perseguição
6.    Ira
7.    Mau humor constante e repentino
8.    Comportamento irracional
9.    Más ações contínuas
10. Hábitos escravizadores (vícios)
11. Compulsões
12. Sonhos e pesadelos horríveis repetidos
13. Doenças psíquicas
14. Desejo compulsivo de amaldiçoar
15. Repulsa contra a Bíblia
16. Sentir-se perturbado
17. Dúvidas aterradoras sobre a salvação
18. Adivinhação
NO ASPECTO FÍSICO
1.    Dores de cabeça constante
2.    Desmaios e convulsões
3.    Problemas no útero e ovários
4.    Problemas nos rins e vias urinárias
5.    Pontadas no corpo
6.    Falta de ar
7.    Dor e Peso na coluna
8.    Enjôo
9.    Sonolência
10. Insônia
8.    Inchaço do corpo 
9.    Inchaço na cabeça
10. Alergias
11. Dores no estômago
12. Falta de apetite constante
13. Apetite mórbido
14. Gosto excessivo por doces
15. Estafa
16. Dores no ouvido
17. Enfermidade sem diagnóstico médico
            Como ajudar e orientar uma pessoa que se encontra nessa situação em sua célula ou igreja?

1. É necessário que a pessoa se conscientize de que está cativa dos demônios e queira ser liberta de verdade e não apenas ficar momentaneamente livre do problema.
 2. Arrependimento genuíno da prática do pecado
 3. Renunciar aos pecados definitivamente
 4. Ser humilde e reconhecer a total dependência de Deus
 5. Estar disposta a perdoar
Essas são algumas das realidades espirituais que lidaremos e lidamos no dia-a-dia em nossa Igreja e nas Células. É preciso ter conhecimento, mas acima de tudo é preciso buscar em Deus uma vida de santificação para que não venhamos a passar por situações semelhantes, lembrando sempre que temos uma carreira a trilhar proposta pelo Senhor e um alvo a atingir, que é a estatura de varoas e varoas perfeitos. Portanto, caminhemos sem medo porque o reino de satanás e grande, mas o do Senhor é MAIOR.
Evidências da presença maligna Texto: Marcos 5:1-5
Textos Complementares: Ef 4.26-32/ At 10:38/ Jo 10:10/ 1Co 3:16,17/ 1Co 6:19,20.
Para Memorizar: “Ele saiu do barco, e logo foi ao encontro dele um homem que estava dominado por um espírito mau.” (Mc 5:2)
Introdução:
Falaremos sobre a possível manifestação de demônios na vida de uma pessoa. O que pode fazer um espírito maligno em alguém sobre quem passou a ter domínio? Quais as evidências da presença maligna?
Entendendo um pouco mais sobre estas coisas, teremos melhores condições de ajudar aos que necessitam de libertação.
FAZENDO MORADA NOS SEPULCROS
É importante notar que a primeira referência ao homem endemoninhado diz respeito à sua saída dos sepulcros para encontrar-se com Jesus. A Bíblia diz que ele tinha a sua morada no cemitério, ao invés de estar no lugar mais apropriado para todo o ser humano: em casa, com sua família, e num ambiente de amor e aceitação.
Satanás é um destruidor de lares. A área familiar é um dos primeiros alvos do inimigo. Ele está sempre procurando uma oportunidade para arrancar alguém do seu convívio familiar, desestruturar os que ficam e a arruinar o que sai. Muitos espíritos têm sido liberados para atacar as famílias com discórdias, mágoas, ressentimentos, inimizades, gritarias e infidelidade.
            Diante do exposto precisamos vigiar para não darmos lugar ao Diabo, permitindo sua interferência em nossa casa. O lar é o ambiente onde deve reinar a harmonia e o reflexo da presença de Deus (Ef. 4.26-32).
            NEM AINDA COM CADEIAS PODIA ALGUÉM PRENDÊ-LO
            Grilhões e cadeias não eram suficientes para domar aquele homem possuído por uma força maior. Isso nos mostra que o que se manifestava em seu interior era mais forte do que qualquer elemento físico que se apresentasse para se lhe opuser.
É exatamente isso que acontece com uma pessoa aprisionada por um espírito maligno. Suas intenções de fazer o bem podem ser reais, mas não há força o bastante para resistir ao poder maior manifestado pelo demônio. Grilhões e cadeias não são suficientes para detê-lo. Orientação, ensino, conselho e palavras, podem não bastar para mudar o comportamento de alguém que se vê aprisionado espiritualmente. Você já deve ter passado pela experiência de ter orientado alguém sobre um determinado assunto, mas perceber que ela não tinha forças para mudar, por mais que quisesse. Pois bem, é sobre isso que estamos falando.
Precisamos entender que somente uma força maior do que a que está se manifestando na pessoa é que pode livrá-la de tal jugo. Essa força maior representa o Poder do Espírito Santo de Deus agindo na vida de alguém (At 10:38).
FERINDO-SE COM PEDRAS
A última característica daquele que está sofrendo a terrível influência de espíritos malignos é a ação de maltratar o próprio corpo. Os espíritos que agiam naquele homem levavam-no a ferir-se com pedras, manifestando todo o ódio contra aquele que fora feito à imagem e semelhança de Deus.
João 10:10 diz: “O ladrão não veio senão para roubar, matar e destruir. Eu vim, porém, para que tenham vida e a tenham em abundância.”
Os mesmos espíritos malignos continuam agindo hoje, levando muitas vidas à autodestruição por meio de vícios diversos: o alcoolismo, o fumo, as drogas. Outros agem na área sexual por meio de: fornicação, perversão sexual, homossexualismo. De muitas formas eles procuram destruir o corpo do homem, porque sabem que ele é o templo do Espírito Santo que habita em nós (1Co 3:16,17/ 1Co 6:19-20).
Conclusão:
            Quando uma pessoa está debaixo de alguma influência maligna, alguns sinais se manifestarão nela: Em primeiro lugar, o impulso de sair de casa e descobrir-se da proteção espiritual que há no seio familiar. Em segundo, a manifestação de uma força interna que o incline para o mal, e que seja, aparentemente, mais forte do que o desejo de mudança. E, por último, qualquer comportamento estranho, que resulte no prejuízo da saúde e do bom funcionamento do corpo.
            Aplicação:
            Faça uma sondagem em seu próprio comportamento. Identifique possíveis atitudes estranhas, limitadoras ou que o escraviza. Busque ajuda de seu líder, caso perceba alguma influência maligna atuando ao seu redor.
Lembre-se somente em Jesus temos libertação e salvação. Ele manifestou-se para desfazer as obras do diabo (I Jo 3.8).Faça uma aliança com Ele e seja livre.
14 características do Espírito de Jezabel
Eis aqui algumas características que acompanham a operação desse espírito demoníaco.
Lembre-se que as pessoas fortemente influenciadas pelo espírito de Jezabel apresentarão muitas delas, num momento ou outro, embora não necessariamente na ordem descrita. Uma característica isolada não indica que alguém tenha o espírito de Jezabel. Pode significar apenas que a pessoa é emocional e espiritualmente imatura. No entanto, sempre que houver uma combinação de várias dentre as 14 características relacionadas, isso será uma forte evidencia de que o indivíduo esteja debaixo de influência maligna.
Lembremos também que uma característica pode ser bem visível enquanto outra pode estar oculta, mas mesmo assim mostrar-se bem acentuada. Uma manifestação prolongada de qualquer uma dessas características exige uma avaliação mais atenta do indivíduo e da situação.
1- Embora a princípio seja difícil perceber, o indivíduo sente-se profundamente ameaçado pelos profetas, os quais são seu principal alvo.
Embora ele pareça ter o dom de profecia, seu alvo na verdade é controlar aqueles que se movem na esfera profética.
2- Para aumentar seu favor, o indivíduo muitas vezes se aproxima do pastor e dos líderes locais e depois busca encontrar o elo mais fraco a fim de dominá-lo. Seu objetivo final é governar toda igreja.
3- Em busca de reconhecimento do pastor e dos membros, o indivíduo forma associações estratégicas com pessoas que são reconhecidas como espirituais e têm influência na igreja.
4- Para parecer espiritual, o indivíduo busca reconhecimento manipulando as coisas e buscando tirar vantagem. Muitas vezes, compartilha sonhos e visões provenientes de sua própria imaginação ou que ouviu de outros.
5- Quando o indivíduo recebe um reconhecimento inicial, geralmente responde com falsa humildade. No entanto, tal atitude não dura muito.
6- Quando é confrontado, o indivíduo se coloca na defensiva. Ele justifica suas ações com frases do tipo "Estou obedecendo a Deus" ou "Deus me disse para fazer isso".
7- Muitas vezes, o indivíduo alega ter grandes revelações espirituais sobre o governo da igreja, mas não busca autoridades legítimas. Em geral, primeiro compartilha suas opiniões com outras pessoas. Sua opinião muitas vezes se torna a "última palavra" sobre várias questões, fazendo com que se sinta superior ao pastor. No entanto, mesmo que sua revelação seja proveniente de Deus, ele prefere sair falando em vez de orar.
8- Com motivos impuros, o indivíduo busca se aproximar de outros. Parece desejar fazer "discípulos" e precisa de constante afirmação de seus seguidores.
9- Esse indivíduo prefere orar pelas pessoas em particular (em outra sala ou num canto isolado), para não ter de prestar contas a ninguém. Assim, suas revelações e falsas "profecias" não podem ser questionadas.
10- Ansioso para conseguir o controle, ele reúne as pessoas e procura ensiná-las. Embora, a princípio, o ensino possa ser correto, ele apresenta "doutrinas" que não possuem fundamentos na palavra de Deus.
11- Enganando os outros com profecias carnais e falando aquilo que as pessoas gostam de ouvir, ele busca acima de tudo conseguir credibilidade. Profetiza meias verdades ou  fatos pouco conhecidos, como se fossem revelações divinas, torcendo seus pronunciamentos anteriores e fazendo parecer que se cumpriram na íntegra.
12- Embora a imposição de mãos seja um princípio bíblico, esse indivíduo gosta de compartilhar um nível "mais elevado" no espírito e derrubar as paredes que prendem as pessoas, por meio da imposição de mãos.
No entanto, seu toque transmite maldição. Em vez de uma benção santa, o que ele transmite mediante seu toque é um espírito maligno.
13- Mascarando uma auto-estima deficiente com orgulho espiritual, ele deseja ser visto como a pessoa mais espiritual da igreja. Pode ser o primeiro a chorar, clamar, etc, afirmando estar recebendo uma carga de Deus. No entanto, não é diferente dos fariseus que queriam que suas boas ações fossem vistas e suas virtudes reconhecidas pelos homens.
  14- Lamentavelmente a vida familiar desse indivíduo é turbulenta. Ele pode ser solteiro ou casado. Quando é casado, seu cônjuge geralmente é espiritualmente fraco, não convertido ou miserável. Esse indivíduo tem tendência de dominar todos os membros de sua casa.

Batalha Espiritual I - Sete armas para destruir fortalezas Texto: 2 Coríntios 10:4
“Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim, poderosas em deus, para destruição das fortalezas”
Ao se falar em batalha espiritual temos sempre em mente a idéia de guerra, de luta, de combate. Ao estudarmos profundamente sobre o assunto, vemos que a batalha espiritual envolve tudo isso, mas vai muito além de guerrear, e tornou-se um dos grandes desafios da Igreja do Senhor Jesus nos dias de hoje.
            Quando buscamos na Palavra de Deus subsídios para entendermos como de fato devemos nos posicionar com relação a batalha espiritual, vemos uma grande ensinamento do Apóstolo Paulo, quando enfrentava na Igreja de Corinto uma oposição ferrenha à sua autoridade apostólica, e, seus adversários tentavam persuadir a igreja a rejeitá-lo. E vemos no capítulo 10, o apóstolo defendendo sua autoridade apostólica, ensinando aos seus discípulos em Corinto que as armas das nossas milícias não são carnais, mas poderosas em Deus para destruição das fortalezas.
Que fortalezas são essas? São os arraiais que satanás monta à nossa volta. Ele sabe muito bem, que precisa incutir pensamentos destrutivos para derrubar as pessoas, e nós precisamos estar conscientes de que a guerra espiritual com relação às fortalezas por ele levantadas em nossa mente é ferrenha.
            Satanás não está brincando de matar, roubar e destruir. Esta é a sua missão, e ele é obstinado por ela. Às vezes as pessoas de acomodam com a idéia de que a minha salvação estando garantido o que vir é lucro, e não tem determinação para viver uma vida de abundância, de qualidade, saudável espiritualmente, e estão sempre com suas forças minadas por satanás. E assim temos visto lares, casamentos, ministérios, projetos e sonhos serem totalmente destruídos. 
Mas a Palavra de Deus diz que as nossas armas não são carnais, mas poderosas em Deus, para destruir fortalezas, e precisamos crer nisso! Amém?
Um fator interessante de se ressaltar, é a tremenda confusão que se faz com armas e armadura. Muita gente acha que entrar numa batalha espiritual é simplesmente se revestir com a armadura de Deus e pronto. Com isso temos visto muitos crentes entrar e sair de uma batalha espiritual literalmente arrebentado. Por quê?
Porque a armadura é uma proteção, mas usar as arma é uma tomada de posição.
São 14 as armas principais para enfrentarmos uma batalha espiritual. No estudo de hoje, vamos ver sobre as 07 primeiras que devemos usar diariamente.
1.    Dedicação à verdade
2.    Vida de retidão em todas as áreas (vida transparente )
3.    Proclamação do Evangelho
4.   
5.    Amor
6.    Certeza da salvação
7.    Oração perseverante
Quando usamos essas armas contra o inimigo, é como se nós jogássemos uma bomba no arraial de satanás, e a igreja sai vitoriosa porque a presença do Reino de Deus se manifesta poderosamente.
      A igreja do senhor hoje, é chamada à um desafio diário e precisa estar em batalha espiritual constante contra as armas do mundanismo, que tenta entrar na igreja, e em muitas delas tem entrando através da psicologia, das doutrinas humanistas, da filosofia, da lingüística, das atividades e passatempos emocionantes que substituem a oração, a fidelidade incondicional à Palavra de Deus, a fé, a justiça, o poder do Espírito Santo.
Somos:
Embaixadores de Cristo - II Co 5:20
Templo do Espírito Santo - I Co 3:16
Direito de chamar a Deus de Aba-Pai - Rm 8:15
Adotado pelo Pai como filhos - Ef 1:5
Nossos pecados foram perdoados - Cl 1:14
Selados pelo Espírito Santo - Ef. 1:13
Estas e muitas outras posições nos foram dadas, e, além disso, Jesus compartilhou conosco a autoridade que Ele recebeu do Pai. Quando cremos nele, recebemos essa autoridade. Temos em Cristo, autoridade para:
Pisar em serpentes e escorpiões e sobre o poder do inimigo - Lc. 10:19
Expelir demônios - Mc 3:14
Curar todos os tipo de enfermidade - Mt. 10:1
            Quando assumimos nossa posição em Cristo, e recebemos dele autoridade, passamos a usar as armas com destreza, e aí sim, podemos nos revestir da armadura de Deus e estaremos prontos para enfrentar qualquer tipo de Batalha Espiritual. Estaremos prontos para enfrentar qualquer um dos níveis do império das trevas. Como soldados, estaremos prontos para guerrear, e com certeza sairemos vitoriosos. Se você não se posiciona, você tem medo. Se você tem medo, você não usa as armas e é derrotado.
            Batalha Espiritual II - Sete armas para destruir fortalezas
Texto: 1 Samuel 17:45
“Tu vens contra mim com espada, e com lança, e com escudos, eu porém vou contra ti em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel, a quem tens afrontado”
No estudo de hoje, veremos as outras 07 armas mais poderosas e são elas:
8. O Sangue de Jesus
9. O Nome de Jesus
10. A Palavra de Deus
11. O Louvor de Guerra
12. Anjos Guerreiros
13. Fogo dos Céus
14. Unção com Óleo
Em I Samuel 17.45, vemos a importância do conhecimento da Palavra. Davi sabia que arma usar, e nós também precisamos saber qual arma usar no dia a dia quando enfrentamos tantas lutas.
            1ª arma - Sangue de Jesus (Arma de Defesa – Ex 12.23 / Ap. 12.11)
            Como somos tricotômicos (espírito/alma e corpo), podemos pedir a proteção do sangue nas três dimensões. Como é uma arma de defesa, não serve para expulsar os demônios, mas sim para acobertar a nos, nossos familiares e nossos bens e pertences em geral. Devem ser utilizados todos os dias de preferência na parte da manhã no início do dia. O Sangue de Jesus é, sobretudo o meio de purificação dos nossos pecados. Ao entrarmos numa batalha, devemos sempre pedir a purificação com o Sangue de Jesus.
            2ª arma – O Nome de Jesus ( arma de Ataque - Mc. 16:17 e Lc. 17:19 ).
É uma arma ofensiva, ou seja, serve para atacar o inimigo. Também é uma arma que   utilizamos no dia a dia para frustrar os planos forjados no inferno contra nossas vidas.    Enquanto sonhamos e fazemos planos para sermos bem sucedidos, o diabo faz planos para nos destruir. O nome de Jesus é uma arma poderosíssima para expulsar demônios e na libertação usamos essa arma para:
             Renegar os vínculos
            ● Quebrar os pactos
            ● Quebrar as maldições
            ● Quebrar trabalhos de feitiçaria
            ● Curar os enfermos do corpo e da alma
            ● Expulsar demônios
            3ª arma – A Palavra de Deus (arma de Ataque - Mt. 4:11 e Ap. 12:11 ).
            A Palavra de Deus foi à arma que Jesus mais utilizou em seu Ministério. Essa é uma arma que deve ser ativada diariamente com fé, persistência e autoridade. Devemos confessar os versículos de acordo com a natureza do problema.
Ex.: Se você teve uma discussão com alguém e o diabo lança uma seta de ódio você confessa o versículo 12 de Pv. 10 dizendo: Eu confesso que o ódio excita contendas, mas o amor cobre todas as transgressões. Eu amo fulano. Esta seta maligna que o diabo lançou sobre o meu coração está arrancada e lançada fora em Nome de Jesus. A Palavra de Deus é uma arma que combate a mentira do diabo e com ela Jesus venceu o diabo no deserto.
            4ª arma – Louvor de Guerra ( arma de Ataque e Defesa - II Co 20:19-23 e Jz.5:1-22 ).
            Quando louvamos, estamos ao mesmo tempo atacando e nos defendendo das hostes da maldade. Todo Louvor de Guerra deve estar de acordo com a natureza do problema.
            Ex.: Se você está muito triste, cante louvor para Deus derramar o óleo da alegria.
Se você está enfermo louve ao senhor dizendo: Hoje eu vou tocar nas vestes de 
Jesus e Ele vai me curar. O louvor deve ser uma prática diária, pois o louvor liberta.
            5ª arma – Anjos Guerreiros (arma de Apoio - Hb. 1.14/Sl. 34:7 e 91.11)
            Os anjos nos servem como arma de apoio, pois estão à serviços dos santos “filhos de Deus. Eles tanto atacam os demônios como nos defendem deles.
Não devemos nunca sair de casa sem pedir o ajuste da armadura, a cobertura com o Sangue do Cordeiro e que o Senhor dê ordem aos seus anjos para que acampem ao nosso redor. Os anjos só atuarão após a nossa intercessão a Deus.
6ª arma – O Fogo dos Céus (arma de Ataque - Is. 33:14 e II Rs. 1:12 ).
Essa arma às vezes é usada de forma errada e se confunde o “Fogo do Espírito Santo”que é purificador, com o Fogo dos Céus, normalmente usado contra ataques de demônios, nos lugares ou em parte do corpo ou da alma da pessoa. O Fogo dos Céus queimam os demônios e os afugenta. 
            Muitos dizem que crente não fica endemonhiado, mas fica sim, basta ter vínculos e pactos não quebrados, para que eles tenham legalidade de até mesmo incorporar e tomar conta de todo o corpo da pessoa ( possessão ).
7ª arma – Unção com Óleo ( arma de defesa - Mc. 6:13 e Is. 10:27 ).
O óleo como arma pode ser usado na libertação quando o diabo oprime a pessoa em partes do seu corpo. Por ser uma arma de defesa, é muito usada nas igrejas.
O óleo pode simbolizar a Unção do Espírito ou o próprio Espírito Santo. No Reino do Espírito algo muito misterioso ocorre quando ungimos uma pessoa. A unção com óleo consagra e dedica a pessoa a Jesus, quebrando todo jugo maligno.
Essas são as armas que devemos usar no dia a dia à fim de que possamos enfrentar as trevas e sair de qualquer cilada do inimigo.
O que determina a necessidade de libertação?
Para sabermos o que determinará a necessidade de passarmos por um processo de libertação, devemos considerar as seguintes questões:
Discernimento de Deus
Pessoas que vieram do espiritismo
Pessoas que tiveram profundo envolvimento com sexo ilícito
Persistência deliberada na prática de um determinado pecado
Compulsão
Traumas e complexos dos mais diversos
Vítimas de trabalho de macumba
Ancestrais profundamente envolvidos no pecado
Pessoas consagradas a santos e demônios desde crianças
Pessoas que possuem um grande número de sintomas de opressão
            Como o Ministério de Libertação pode ajudar você...
Nossa proposta, objetivo e chamado na obra do Senhor Jesus Cristo, é justamente sermos um canal que possa orientar as pessoas e ajudá-las a serem libertas dos cativeiros em que se encontram. É fundamental que você tenha plena consciência de que a atitude que você teve antes da sua conversão ou que você não tenha conseguido se livrar delas mesmo após a conversão, são pecados que afastaram ou continuam impedindo que você tenha uma vida de plena comunhão com o Senhor.
Às vezes nos pegamos com determinados pensamentos ou reações que nós mesmos assustamos. E logo questionamos a Deus: Senhor porque não consigo me livrar disso se tenho levado uma vida de retidão, umas vidas de oração, na medida do possível têm buscado produzir bons frutos, mas porque ainda essas coisas do velho homem? Por quê? Existem aqueles que foram criados em lares evangélicos, receberam uma base tremenda em sua estrutura psicológica e emocional que foi a Palavra de Deus, mas porque tem tanta tendência ao pecado? Porque sentem uma vontade incontrolável de desfrutar as coisas do mundo, mesmo sabendo que estará mergulhando no mais profundo abismo? Tudo isso você precisará se conscientizar. É como se você literalmente se colocasse diante do Trono de Deus e dissesse: Pai aqui está, preciso mais do que nunca o Senhor me sonde e me mostre quais áreas da minha vida que tem me mantido (a) cativo (a) ao diabo. Quero e preciso ser liberto (a). Não suporto mais conviver com todos os pecados que tenho praticado. 

 Formando um libertador de qualidade:
A VIDA DO LIBERTADOR
Textos: Isaías 61; Marcos 3. 13-15.
Âmbitos e níveis da batalha espiritual que um libertador enfrenta:
Âmbitos:
·         Âmbito pessoal (Romanos 12:2)
·         Âmbito familiar/ Âmbito da empresa (Mateus 10. 36).
·         Âmbito da igreja.
·         Âmbito da cidade, região ou país.
Para vencer essa batalha é preciso: dar ouvido (Jeremias 13.15).
Condições para vida do guerreiro: Ter paz com todos (Hebreus 12. 14)
Aquele que se dispõe a ser um guerreiro espiritual deve atender as seguintes condições: 
1ª condição espiritual (ser nascido de novo): 
Ø  Ser um praticante da palavra de Deus e ter bom testemunho, dentro e fora da igreja. 
Ø  Ter uma vida devocional diária: leitura da bíblia, oração, jejum, etc… (Josué 1:1-8)
Ø  Ser cheio do Espírito Santo (Efésios 5:18)
Ø  Ser maduro espiritualmente: testado (Tiago1:2-4) ; emocionalmente estável e curado interiormente. 
Ø  Ser homem ou mulher de adoração (2 Crônicas 20:18-23). 
Ø  Ser homem ou mulher de oração e jejum
Ø  Ter comunhão com corpo de Cristo nas celebrações e nas células (Hebreus 12:14).
Ø  Ser aberto e exercitado dos Dons Espirituais. 
Ø  Ter brechas fechadas; analisar suas vulnerabilidades (onde o inimigo poderia pegá-lo
2ª condição espiritual (1 Timóteo 3:2-7) : 
Ø  Ser casado com fidelidade e santidade no casamento (isto para os casados).
Ø  Ser temperante.
Ø  Ser sóbrio, moderado no comer e no beber
Ø  Ser modesto (não esbanjador) no vestir, no viver (1 Timóteo 3:2-7). 
Ø  Ser hospitaleiro. 
Ø  Ser apto para ensinar e aprender (adaptável).
Ø  Não dado ao vinho sem vícios.
Ø  Ser cortês, pacificador e inimigo de contendas.
Ø  Não violento. 
Ø  Não avarento.
Ø  Que governa bem a sua casa e cria os filhos sobre disciplina. 
Ø  Não neófito (protegido da soberba)
Ø  Que ouça a voz de Deus e a voz dos homens (Provérbios 12. 15). 
Ø  Que tenha boa reputação.
Sua Identidade em Cristo: 
Ø  Os dons e ministérios aceitos.
Ø  Os medos e insegurança (resolvidos)
Ø  Fraquezas. 
Ø  Tendências.
Ø  Fortaleza consciente ou inconsciente
Ø  Orgulho resolvido. 
Ø  As feridas e sentimentos curados
Ø  A reputação entregue ao Senhor
Ø  Controle abandonado (Deus que te controla).
Ø  As lutas e os problemas (saber lidar)
Outras características de sua vida:
Ø  Ter uma vida de entrega e Compromisso total com Jesus
Ø  Ter motivação santificada
Ø  Ter compromisso com Jesus em primeiro lugar e com o ministério
Ø  Fugir da aparência do mal. 
Ø  Ser capaz de conduzir uma pessoa a Jesus
Ø  Ser capaz de expulsar demônios
Ø  Viver uma vida santa e coerente
Ø  Vive o perdão, perdoando e liberando perdão
Ø  Viver na prática da justiça.
Ø  Ser confiante e desejar do amor de Deus (1 Timóteo 3:2-7), qualificação de líder
Tipo de pessoa:
Ø  Ser alguém em quem Jesus trabalhou, tendo consciência que, na batalha espiritual tudo é pelo poder do Senhor: 
Ø  Ter consciência de que não é pelas suas qualidades
Ø  Ter consciência de que não é por seu próprio esforço
Ø  Ter consciência de que não é por sua virtude.
Ø  Ter consciência da graça e misericórdia de Deus.
Ø  Ter consciência de que não é pela sua experiência, nem por sua pesquisa. 
Ø  Ter consciência de que pode e deve combater confiança própria que possa estar inconsciente.
Ø  Alguém que não busca a sua glória própria.
Ø  Ser consciente do que é mais espiritual
Ø  Obediência e direção sempre de Deus
Ø  Não se enfurecer quando acusado injustamente
Ø  Não se irar quando tratado injustamente
Ø  A sua Carne e o seu Eu tem que estar Crucificado (1Coríntios 3:1-9; Gálatas 2:19-20; 5.24; 6.14) 
Alguém quebrantado por Deus: 
Quebrantado na sua tradição
Quebrantado nos seus condicionamentos
Quebrantado na sua autoconfiança. 
Quebrantado na sua determinação
Quebrantado na sua capacidade
Alguém que saiba renunciar (Mateus 16:24-27). 
A si mesmo
A sua posição
A sua família
Aos seus dons
Ao seu ministério
Alguém que reconheça que a obra é do Espírito Santo:
Ter dependência do Espírito Santo. 
Ter total confiança no Espírito Santo
Aprender confessar com Ele. 
Aprender a ouvir o Espírito Santo
Procurar ser guiado pelo Espírito Santo
PRINCÍPIOS PARA A VIDA DE UM LIBERTADOR Texto base: Tiago 4:7-8 
            1ª Submeter a Deus (significa aumentar a obediência e sujeitar-se).
A.   A obediência a Deus e a sua palavra é fundamental para o “ministério de libertação”. 
B.   O ministério não deve questionar as ordens de Deus, mas deve obedecer de coração custe o que custar. 
C.   Precisamos reconhecer a Jesus como o único Senhor da nossa vida. 
2ª Resistir ao Diabo (significa oposição, se põem ao movimento de um corpo, sólido). 
A.   A persistência tem sido a maior vantagem de satanás para com a igreja.
B.   Devemos esperar uma oposição com mais freqüente em se movimentar contra as nossas vidas, por isso, a persistência em se movimentar contra as trevas é fundamental para se obter a vitória. Precisamos aprender a ser persistentes, esta deve ser uma ação “contínua” na vida dos libertadores. 
C.   Na batalha espiritual diária, devemos ser persistentes em:
·         Identificar o inimigo.
·         Discernir seus propósitos.
·         Confrontar biblicamente as suas oposições
·         Procurar sua melhor defesa
·         Não recuar, custe o que custar
D.   Exemplos bíblicos de persistências na batalha espiritual: 
·         Jesus (Mateus 4:1-11; Marcos 5:1-20)
·         Apóstolo Paulo (2 Coríntios 12-7-10)
·         Arcanjo Miguel (Judas 9; Apocalipse 12-7-8)
·         Mulher Cananéia (Mateus 15-21-28). 
·         A persistência é um princípio bíblico para que diabo fuja. 
E.   Exemplo de uma má persistência na batalha espiritual:
·         Adão e Eva (Gêneses 3). 
·         Discípulos (Mateus 17.14-21)
·         Pedro (Mateus 16.21-23)
·         Judas (Lucas 22.3-4). 
·         Sete filhos de Ceva (Atos 19.13-17).
·         Recuo: É um princípio bíblico para que o diabo avance.
·         Só haverá vitória para os persistentes.
3ª Acheguemo-nos a Deus (significa aproximar-se, acolher-se).
Achegar-se a Deus significa: 
A.   Ter uma vida pessoal de oração é fundamental. 
A meta é buscar a intimidade com Deus. A nossa vida particular de oração é o principal barômetro usado para medir a qualidade da nossa vida com Deus.
DESFRUTANDO DA ORAÇÃO: 
O tempo ------------------------ O bastante para se deleitar com Deus. 
O lugar -------------------------- Um lugar tranqüilo 
A atitude ------------------------ Tome uma posição firme, creia no Deus das promessas. 
O formato ----------------------- “Pai Nosso”
A qualidade --------------------- Seja objetivo, claro e sincero. 
O jejum -------------------------- Nos faz íntimos com Deus. 
B.   Deleitar-se sempre na palavra (fundamental):
O conhecimento bíblico é vital para ser um bom “ministro de libertação”. Através da Bíblia estaremos conhecendo o caráter do nosso Deus. Disciplina: é fundamental para se conseguir um bom tempo devocional na palavra. A palavra nos fortifica nos fortalece e nos ensina a sermos bons “ministros de libertação”. A palavra foi à principal arma de guerra utilizada por Jesus.
C.   Amar uns aos outros: 
1 Coríntios 13 – um caminho sobre modo excelente. 
Mateus 22:34-40 – A lei mosaica se resume no amor. 
1 João 4:20 – Só amamos a Deus quando também amamos o nosso irmão. 
Precisamos de um batismo de amor para realizarmos este ministério. 
Conclusão: A oração, o jejum, a palavra e o amor nos trazem para perto de Deus

4. Purificar as Mãos e Limpar o Coração
            Purificar as mãos refere-se aquilo que fazemos, ou seja, as nossas atitudes. 
Limpar o coração refere-se aquilo que pensamos. Ao que se passa em nossa mente. 
A santidade é necessária à guerra (é indispensável).O soldado ferido, machucado, desajustado, desequilibrado, cheio de pecados, não pode ir ao campo de batalha. É necessário, primeiramente, estar com a vida em ordem. Santidade significa ter ódio do pecado, amar a Jesus e fazer tudo o que Ele quer. Importante: amadurecer na santidade.
            Leia Deuteronômio 30.19
As conseqüências da aventura com o pecado Texto: Lucas 15.11-24
Introdução: Esta parábola se originou quando os fariseus murmuravam, porque Cristo permitia que os publicanos e pecadores lhe escutassem. O Senhor lhes respondeu com três parábolas: A ovelha perdida, a moeda perdida e o filho pródigo.
1 – Os quatro grandes problemas do filho pródigo.
- O problema de desperdício – Gastando dissolutamente
- A distância – Longe da proteção do pai.
- A grande fome – Não tinha uma moeda no bolso, a distância o separava do pai e não podia contar com sua proteção, agora a fome o martirizava.
- O problema da solidão – Sem dinheiro, os falsos amigos já não queriam mais a sua amizade. A solidão, a depressão e angústia de morte eram os seus acompanhantes.
2 – Os quatros retratos que o filho pródigo ilustra.
- A humanidade que se afastou de Deus – Ao desprezar o temor de Deus, a humanidade anda desperdiçando seus bens, sua conduta, sua própria vida.
- Uma sociedade que busca falsas idéias – A cada dia fica mais distante de Deus em busca do misticismo, da idolatria, prostituição e dos prazeres efêmeros.
- Os filhos que deixaram o lar por qualquer aventura.
- O cristão que deixou a igreja e hoje vive na solidão.
3 – Quatro grandes decisões do filho pródigo.
- A decisão de levantar-se – “Levantar-me-ei" (v.18) – A primeira grande decisão de quem está caído é quando resolve se levanta e ser um vencedor.
- A “ação de levantar-se –”. “E irei ter com meu pai...” (v.18) – O homem pode viver caído por muito tempo, mas no momento em que resolve levantar-se recebe a ajuda do Pai Celestial.
- A decisão de confessar o pecado – “... e lhe direi: Pai eu pequei contra o céu e perante ti” (v.18). “... mas o que confessa e deixa, alcança misericórdia” (Pv.28:13).
- A decisão de ficar para sempre na casa do Pai – “E levantando-se foi para seu pai” (v.20).
4 – As quatro decisões do Pai.
- Compadeceu-se e perdoou – O Pai Celestial é benigno e está sempre pronto a perdoar. “Mas, tu Senhor, és bom, e pronto a perdoar e abundante em benignidade” (Sl.86:5).
- Correu ao encontro – O Pai amoroso está atento, esperando o filho voltar pelo caminho (v.20).
- Celebrou uma grande festa – Na casa do Pai Celestial é motivo de festa quando o filho rebelde se arrepende e resolve voltar. “Assim voz digo, que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende” - (Lc. 15:10).
- Restaurou-o completamente – Vestiu-lhe com roupas e calçados novos, e voltou a usar o anel de príncipe (v.22-24).
Conclusão: As aventuras com o pecado são, ilusórias e traiçoeiras levando ao caos da miséria.
            O poder para libertar os cativos:  Texto: Marcos 3:27 Textos Complementares: Lc 4:5-7; 15:3-7/Jo 3:16;17:15/Ex 8:18,19/At 10:38/Is 10:27/2Co 3:16-18; 4:4.
Para Memorizar: ”Ninguém pode entrar na casa de um homem valente e roubar os seus bens, sem primeiro amarrá-lo. Somente assim poderá levar o que ele tem em casa.” (Mc 3.27)
            Introdução: vimos que alguns escribas (professores da lei) estavam falando que o espírito capaz de expulsar demônios existentes em Jesus, era o espírito de Belzebu (o senhor das moscas). Depois de desmascarar tal incoerência, o Mestre começou a ensinar sobre a existência de outro poder verdadeiramente capaz de expulsar todos os inimigos espirituais do homem. É sobre este poder que falaremos hoje.
            Poder para entrar na casa do valente
O poder sobrenatural do Espírito Santo que habita em Jesus, O leva na direção da casa do valente. O valente é Satanás, que mantém como prisioneiros todos os homens que ainda não conhecem o amor de Deus em seus corações. A casa do valente é o mundo, sobre o qual passou a ter domínio, assim que o recebeu das mãos do próprio homem (Lc 4:5-7).
            Jesus sabia que o Seu lugar de atuação tinha de ser na casa do valente, ou seja, no mundo onde estavam os seus bens preciosos que tinha de reconquistar: vidas preciosas. Na oração que fez por seus discípulos, em João 17:15, menciona:”não peço que os tires do mundo, mas que os guardes do Diabo”.
            Ele deixou claro que a casa do valente seria o mesmo campo de batalha para o cristão de hoje. Mas como Ele tinha vencido, assim seria com todos os que cressem em Seu poder.
2) Poder para amarrar o valente
            O versículo bíblico chave da lição de hoje, quer dizer que não adianta apenas estar na casa do valente; é preciso saquear os seus bens. Para isso acontecer é necessário que o valente seja amarrado. O Espírito que estava em Cristo era o único que podia derrotar os demônios atormentadores de vidas. Ele era o próprio “Dedo de Deus” que fez algo que os magos do Egito não conseguiram fazer (Ex 8:18,19). Foi Ele quem ministrou a unção necessária sobre a vida de Jesus de Nazaré, com poder para curar todos os oprimidos pelo Diabo (At 10.38). O Espírito Santo era Aquele que atuava e ainda atua na liberação da unção que quebra o jugo (Is 10.27).
            Portanto, o Senhor estava na casa do valente, pronto para amarrá-lo e saquear os seus bens. Milhares de vidas estavam prestes a ter suas correntes quebradas, e algemas abertas. Glória a Deus!
            3) Poder para saquear os bens
O objetivo final de toda a investida de Jesus seria o saque dos bens da casa do valente: vidas preciosas pelas quais Ele mesmo morrera na cruz do Calvário. Como já dissemos, o mundo passou para o domínio de Satanás, tendo ele cegado o entendimento dos incrédulos para que estes não entendam a revelação da Palavra e sejam salvos (2 Co 4:4) Pela manifestação sobrenatural do Espírito de Poder, porém, o véu que se encontra sobre os olhos de muitas pessoas há de cair, permitindo-lhes enxergar com clareza e perceber o mau caminho em que estão. Pelo Espírito hão de caminhar na direção do Salvador Jesus (2 Co 3:16-18; 1 Pe 2:9,10).
Os bens retidos na casa do valente são tão preciosos aos olhos de Deus, que Este deu o Seu próprio Filho para morrer por eles (Jo 3:16) Cabe aqui a ilustração da parábola das cem ovelhas, onde havendo se perdido uma delas deixa, o pastor, as noventa e nove num lugar seguro para buscar a extraviada, não voltando para casa sem a ter encontrado (Lc 15:3-7).
            Conclusão: Estamos no mundo para realizar a obra de Deus. Não somos daqui, mas temos um propósito de vida neste lugar. A nossa missão é amarrar o valente por meio de uma vida santa, de intimidade com Deus e sem conivência com o mal. Neutralizamos o poder do inferno quando oramos e andamos na Palavra de Deus. Esse continuará sendo o nosso papel enquanto vivermos. Como conseqüência, milhares de vidas terão seus jugos quebrados, no Poderoso nome de Jesus.
Aplicação: Nos próximos dias procure tirar alguém da casa do valente. Revista-se do poder de Deus em oração, e interceda por uma pessoa que Deus colocar em seu coração. Procure fazer contato, e convide-a para ir a igreja.
Depois da Libertação Texto: Salmo 126
Introdução: Este Salmo é pós-exílico. O povo estava experimentando a tão sonhada libertação, depois do cativeiro na Babilônia.
O impacto da libertação (v.1-3)
- Saímos da realidade (v.1). Muitas pessoas, ao se converterem, ficam tão impactadas com o Reino de Deus, que ficam como quem sonha.
- Louvor automático (v.2): Quando experimentamos a libertação, um sentimento forte de louvor e gratidão nos invade.
- Espanto entre os vizinhos (v.2b): Muita gente não entende, não acredita que, por exemplo, o vizinho rabugento, violento, possa de uma noite para o dia tornar-se uma pessoa amável e feliz.
Restauração da sorte.
Quando eles chegaram do cativeiro, tiveram também o impacto da terra abandonada há 70 anos, em ruínas. Por isso disseram "Restaura a nossa sorte".
Quando éramos cativos do diabo, abandonamos áreas da nossa vida e agora temos o impacto de vê-las em ruínas. Apenas quando nos convertemos é que vemos os danos que o pecado causou em nossas vidas:
- Família - Falta de relacionamento, de confiança, de diálogo, amizade...
- Trabalho Desajustes, falta de realização, demissões com justa causa, irresponsabilidades.
- Comportamento moral - Má fama, prisões.
- Pode ser no corpo - Prostituição, vícios, doenças provenientes desses comportamentos.
Trabalho árduo (v.5)
O trabalho era penoso, pois a terra estava desolada. Trabalhar em nossas áreas em ruínas também é duro e muitas vezes custam lágrimas. É duro reconquistar a confiança da pessoa amada depois de tê-la traído.
Recompensa (v.6)
Ainda que pareça difícil, e até loucura, a restauração de áreas de nossa vida, nós devemos trabalhar, pois a recompensa é certa. Assim como o trabalhador semeia com lágrimas, mas com júbilo vai colher os frutos.
Conclusão: Fomos libertos para restaurar e não para vivermos em ruínas morais, psicológicas, físicas e materiais. Sua vida pode ser uma terra em ruínas, mas Jesus a restaura e o incentiva a plantar nela o bom fruto do Espírito.
Vencendo as Batalhas na Mente
Texto: Fl 4.8 - "Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo tudo o que é puro tudo o que é amável tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai".
Texto Complementar: Ef 6.10-18
Introdução: Há um ditado que diz: “Mente vazia é oficina do diabo”. Isto na verdade é uma realidade, porque as maiores batalhas espirituais que enfrentamos é no campo chamado mente. A nossa mente contém um filtro pelo qual passam todas as informações que vão para a nossa alma. Se o filtro da nossa mente não estiver lavado e purificado com o sangue de Jesus, e não estiver cheio da palavra de Deus, toda sujeira entrará na nossa alma e a contaminará.
A NOSSA MENTE, LOCAL DE BATALHA ESPIRITUAL E DECISÕES - Onde decidimos:
1 - Servir a Deus ou ao diabo
2 - Fazer a vontade do mundo ou a de Deus
3 - Ser vencedor ou um derrotado
4 - Mentir ou dizer a verdade
5 - Ser um crente cheio do Espírito Santo ou um crente medíocre
6 - Ser abençoado ou ser amaldiçoado
NO CAMPO DA MENTE É QUE NÓS NOS DECLARAMOS DERROTADOS OU VITORIOSOS.
1 - Você prefere crer na palavra de Deus ou nas mentiras do diabo? Jo 8.44 - "..., porque é mentiroso, e pai da mentira".
2 - Você será o produto daquilo que você imagina e declara a seu respeito. Pv. 23.7 - "Porque, como imaginou na sua alma, assim é..."
3 - Se sua mente estiver cheia de Deus e da sua palavra, certamente você terá pensamentos bons a seu respeito e a respeito das pessoas. Zc 8.17 - "E nenhum de vós pense mal no seu coração contra o seu companheiro; executai juízo de verdade e de paz nas vossas portas"
4 - Os princípios contidos na Palavra de Deus trazem cura para a alma - Sl 19.7 - "A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma..."

NO CAMPO DA MENTE É QUE SE FORMAM OS AUTO-CONCEITOS BONS OU RUINS NA NOSSA ALMA.
1 - Uma alma fragilizada, ferida, magoada, traumatizada, amargurada, produzirá uma fé vacilante e uma mente doentia.
2 - Uma alma enferma só pensa no pior, não vê esperança de mudança em nada, vive sofrendo por antecipação com coisas que nunca existiram e que nunca vão acontecer. O medo contínuo traz um verdadeiro tormento. Veja o texto de 2 Tm 1.7 - "Pois Deus não nos deu espírito de covardia ou temor, mas de poder, de amor e de equilíbrio".
3 - Uma alma enferma pensa e diz: Não posso, não venço, não consigo, não dá certo, enquanto que uma alma curada pensa e diz: “Posso todas as coisas naquele que me fortalece”. Fl 4.13.
Libertos para servir em Santidade e Justiça Texto: Lucas 1:5-20 e 57-75
Sabemos que em cada religião ou seita há um símbolo de representatividade No Cristianismo este símbolo é a cruz. E a Cruz representa o sacrifício que Jesus fez no Calvário para resgatar toda a humanidade. Mas a Cruz não simboliza apenas a morte do Senhor em nosso lugar, ela simboliza também a nossa libertação, e o caminho que nos leva a santificação.
Quando Deus se fez homem na pessoa de Jesus, Ele passou por todo tipo de depreciação moral, física e psicológica que um ser humano pode experimentar: Foi  rejeitado, humilhado, desprezado, traído, sentiu a dor da tristeza na alma de uma maneira profunda, sentiu a dor da solidão, a angustia, a agonia. Ganhávamos ali, o privilégio, o direito, a graça de podermos Servi-lo em Santidade e Justiça. 
Quem pode servir a deus é um povo livre dos seus inimigos, livre da condenação livre do jugo da lei livre da força do pecado livre do medo livre da culpa. Livre de tudo que o impeça de iniciar uma nova vida com o senhor. Aleluia! Hoje fazemos parte desse povo privilegiado que é o povo de Deus e essa profecia é para nós. 
Mas o que de fato temos feito com essa liberdade? Com o privilégio que temos de Servir a Deus em Santidade e Justiça?
O caminho para a santificação é um desafio. Requer ORAÇÃO, DISCIPLINA, OBEDIÊNCIA e DETERMINAÇÃO.
            O mundo está cheio de crentes de fachada, com a aparência de santo, mas o coração e as atitudes escravizados a satanás.
            Não nos tornamos santos da noite para o dia. Temos que querer estar separados do mundo. A santificação deve ser uma prática diária.
Praticamos a santificação quando:
• amamos nosso deus de todo nosso coração, de toda nossa alma e de todo nosso pensamento;
• vivemos irrepreensíveis.
• temos o coração puro, uma boa consciência, uma fé não fingida.
• somos sinceros e sem escândalo algum.
• morremos para o pecado
Quando o fruto do espírito é produzido em nós e temos a capacidade de viver uma vida santa e vitoriosa dedicada a deus
Temos vivido tudo isso ou temos deixado que o mundanismo e os prazeres carnais sufoquem nosso espírito e impeça nossa comunhão com Deus? E o que você tem feito com o direito que ele te concedeu para que você o sirva em santidade e justiça? o que você tem feito? 
Pare e reflita: Como tem sido sua vida diária? Seu testemunho no local de trabalho, na sua comunidade, na sua família?
O que você tem feito com a liberdade que o Senhor te concedeu para que você o sirva em Santidade e Justiça?
Jesus e o processo de libertação de uma vida Texto: Mc 5.6-20
Textos Complementares: Fl 2.9-11; Mc 16.17; Mc 9.23; Mt 19.21-22; Gn 12.3
Versículo para memorizar: "Quando chegaram perto de Jesus, viram o homem que antes estava dominado por espíritos maus, e ficaram assustados porque ele estava sentado, vestido e no seu perfeito juízo." (Mc 5.15).
            Introdução: Uma vida preciosa estava aprisionada por espíritos malignos, até que esta pôde se encontrar de forma maravilhosa com Jesus. Hoje, veremos como se deu o confronto espiritual e os efeitos na vida daquele homem. 
1 - Jesus sendo adorado pelos demônios - A legião de demônios que estava naquele homem, ao ver Jesus, adorou-o. Certamente não se tratava do mesmo tipo de adoração que os verdadeiros filhos de Deus lhe apresentam. Mas se tratou do reconhecimento de quem Ele realmente é: o Filho de Deus Altíssimo, respeitado em todo o reino espiritual. Saiba que ao Nome de Jesus todos os seres se prostram, mesmo os demônios. Eles não podem resistir a este Nome que é sobre todo nome: Jesus Cristo (Fl 2.9-11).
2 - Jesus e a ordem para a saída dos demônios - O homem e os demônios não podiam mais viver juntos. Sem hesitar, ordenou aos espíritos que saíssem, e eles saíram.
Não haverá libertação completa de vícios, prisões e amarras, se não houver um confronto sério aos seres espirituais que estão exercendo influência sobre alguma pessoa. Eles precisam ser expulsos, em Nome de Jesus (Mc 16.17).
3 - Jesus e a identidade dos demônios - Nessa ocasião, Jesus perguntou o nome do demônio que com Ele falava, até ouvir a resposta: ‘Legião’ (por serem muitos). Não O vemos adotando a prática de perguntar o nome dos espíritos maus. Mas, nesse caso, sim. Talvez para que ficasse notificada a dimensão do sofrimento vivido por aquela pessoa. Legião, segundo o exército romano, representava o número de 6.000 soldados. Talvez não fosse exatamente esse o número de demônios que agia ali, mas, certamente, um número considerável, tendo em vista o prejuízo causado naquela vida.  Mas tudo isso apenas reforça a verdade de que, não há problema tão difícil que não possa ser resolvido em Cristo (Mc 9.23).
4 - Jesus e o convite para que Ele se retirasse da região - Depois de haver permitido a saída dos demônios do homem para os porcos, Jesus foi convidado a se retirar daquela região. Motivo: o grande prejuízo causado ao dono dos porcos. Ele não tinha intenções de prejudicar ninguém. Apenas estava ali para buscar e salvar o que se havia perdido. E graças a Deus conseguiu! No entanto, para muitos, a perda dos porcos foi mais significativa do que a libertação de uma vida. Hoje, alguns ainda estão procurando manter o Senhor o mais distante possível de suas vidas, de seus negócios, de suas famílias, por pensarem na possibilidade de levar algum prejuízo com isso. Não querem correr o risco de ter de renunciar algo de valor por amor a Cristo (Mt 19.21-22).
5 - Jesus e a ênfase na restauração da família - Jesus não permitiu que o homem liberto o seguisse em seu ministério missionário. Provavelmente tenha pensado no longo tempo que o ex-endemoninhado já havia desperdiçado, longe de casa de sua família. O Senhor anelava vê-lo restaurado em todas as áreas, principalmente nas questões familiares. Certamente as prisões demoníacas haviam provocado sérias rupturas na relação marido e esposa, pais e filhos. Era urgente a necessidade de se voltar para casa a fim de restaurar o que estava quebrado. Ao não permitir que ele o acompanhasse em sua jornada missionária, Jesus estava ensinando que a restauração da família deveria ser a prioridade em sua vida, para que, então, ele pudesse frutificar no ministério. Depois disto, aquele homem se tornou uma grande testemunha em Decápolis (um grupo de dez cidades circunvizinhas - Mc 5.20) Gn 12.3.
Conclusão: Ao Nome de Jesus, até os demônios se submetem. Precisamos exercer autoridade sobre eles, expulsando-os dos homens. A quantidade de espíritos atuando em alguém não deve nos intimidar. A libertação de uma vida sempre será mais importante do que qualquer bem material, bem como, será um passaporte para a restauração de toda a família.
Aplicação: Pare um pouco para refletir sobre o seu relacionamento familiar. Identifique possíveis problemas que tenham sido gerados por você mesmo, no tempo em que não conhecia ao Senhor. Arrependa-se daquelas atitudes, e busque uma oportunidade para pedir perdão e promover a restauração necessária.
2ª módulo Cura Interior
Dominando o mundo interior
Muitos de nós conquistamos muitos títulos, troféus, e medalhas. Fomos capazes de assimilar idéias, defender teses e debater questões polêmicas da nossa sociedade. Porém, em um dado momento, descobrimos que desconhecemos a nossa alma, o nosso mundo interior.
Tornamo-nos gigantes na ciência do conhecimento, mas frágeis e pequenos em nossas emoções, desconhecendo a nossa própria capacidade e inteligência, ignorando o nosso potencial humano e espiritual. Deus nos criou à Sua imagem e semelhança, e nos capacitou com uma inteligência privilegiada. 
Conhecer a nós mesmos significa dedicar tempo para cumprir o mandamento de Deus que nos diz: “Ame ao próximo como a ti mesmo” (Lv 19.18). Com isso entendemos que precisamos percorrer territórios pouco explorados por nós: O AMOR.
Quando amamos, derramamos lágrimas de alegria, nos emocionamos, nos tornamos sensíveis. A sensibilidade nos leva a Deus, o Criador de todas as coisas. Muitos procuram a felicidade em todo o universo, através de seitas, religiões e crendices, mas se esquece de olhares para si mesmos e ver o Autor da Vida, Jesus. Nós fomos feitos a imagem e semelhança de Deus, e Ele em nós, nos faz completos.
Procuramos a felicidade e sonhamos em viver dias felizes, mas a maior miséria humana esta no solo da emoção. “O sentido da vida se encontra num mercado onde não se usa dinheiro”. É nas coisas simples que estão à maior beleza. Você poderia se perguntar por que muitas pessoas buscaram a felicidade e falharam? Porque quiseram o perfume suave das flores, porém elas não quiseram sujar as suas mãos para cultivá-las. Como, então, podemos dominar a nossa emoção? Vejamos:
Precisamos educar as nossas emoções para ser feliz
Ø  Aprenda a superar as perdas e frustrações.
Ø  Não se afunde no problema, mas vença, pois sem sonhos, a vida não tem brilho; 
Ø  Sem metas, os sonhos não têm alicerces firmes; 
Ø  Sem prioridades os sonhos não se tornam realidade e a vida não tem brilho.
Ø  Precisamos tentar, porque é melhor errar tentando, do que se omitir e nunca tentar.
Ø  Se você não saturar a sua emoção com os seus sonhos e projetos, você não terá perseverança para executá-los (Tg 1:2-4).
Sem diálogo ficamos isolados em nossas emoções. 
Ø  Essa é a ferramenta que está morrendo em nossa sociedade. Ela é muito eficaz, mas esta sendo pouco usada por nós. Dialogar é colocar para fora, expor os nossos sentimentos. É o tempo de darmos a nós mesmos uma chance de melhorar.
Ø  Decida ser alegre, seguro e feliz, tenha novas experiências.
Ø  Crie novas oportunidades, saia do isolamento. 
Ø  Dê testemunho das grandezas de Deus em sua vida (Is 50:4; Sl 119:140)
Precisamos dar valor para a vida.
A saúde das nossas emoções está no amor pela vida.
Ø  As preocupações nos sufocam e nos atolamos com atividades e não conseguimos ver além das dificuldades, pois o cansaço nos cega. 
Ø  Precisamos aprender a ter um tempo com a natureza para contemplar a criação de Deus, sentir o ar que respiramos o vento, brincar com os filhos. 
Ø  Trabalho sempre terá, então, saia um pouco da rotina e viva mais a vida com quem você ama (Mt 6:28-33).
Superar os complexos de inferioridade e superioridade.
Ø  Saiba que você é uma pessoa singular e que a beleza está nos olhos de quem vê.
Ø  Não se sinta diminuído ou incapaz, também não se ache sabedor de tudo, pois todos nós temos experiências para compartilhar uns com os outros (Tg 2:9). 
Ø  Seja um eterno aprendiz na escola da vida, saiba receber e dar saiba perdoar, o perdão nos tira do cárcere das nossas emoções e nos libera para novas experiências. 
Ø  Existem pessoas que não se perdoam e vivem se culpando, seu conceito de si mesmo é baixo e não consegue vencer, pois isso lhe prende a alma. 
Ø  Seja liberto e ande na luz da Palavra.
Proteja suas emoções.
Ø  Não aceite palavras agressivas. 
Ø  Filtre as incompreensões. 
Ø  Não faça das suas emoções uma lata de lixo social, saiba ouvir e reter o que é bom. Esteja sempre certo que se você tiver algum insucesso sempre existirá uma saída que você pode não estar enxergando. 
Ø  Então, areje suas emoções.
Ø  Será que você não se auto-abandonou? Nunca desista da vida. O maior carrasco do homem é o próprio homem (Tg 3:10).
Aprenda a expor e não impor as suas idéias. 
Ø  Treine ser lúcido, eficiente e trabalhe em equipe.
Ø  Muitos têm medo de errar e impõe regras e normas. Não tenha medo, pois ele sempre aumenta e distorce a realidade.
Ø  Seja um líder seguro consigo mesmo e vença a sua mente, que diz que você não consegue. 
Ø  Saiba que todos nós temos idéias boas e que todos nós olhamos de forma diferente as coisas.
Ø  Não tenha medo de falhar, nem de reconhecer quando falha, não tenha medo de reavaliar a sua vida, não se esqueça de sempre dar mais uma chance a si mesmo.
Não desista
Persiga seus sonhos, creia que você é vencedor, acredite nos seus sonhos, não desista de lutar. Deus te ama e vai fazer de você um líder de excelência. 
Creia ainda que pareça difícil. Ponha a Palavra à prova (Ml 3:10; Ef 6:18; Hb 10:36).
            O processo da cura Texto: Mc 1: 29-31 Textos Complementares: Mc 11.24; Hb 10:23; Rm 4.17 e 21; Mc 5.18-20.
            Versículo para Memorizar: “Ele foi até o lugar onde ela estava, segurou a sua mão e ajudou-a a levantar-se. A febre desapareceu, e ela começou a cuidar deles”. (Mc 1:31).
            Introdução: A cura da sogra de Pedro se deu de forma gradual até chegar à plena concretização. Tal processo nos ensina a respeito de como obtermos a vitória almejada diante de nossas adversidades. Seja para as questões de saúde, para as finanças, ou outra área qualquer. Deus, em Sua Palavra, sempre nos apresenta um caminho pelo qual podemos trilhar certos de que os resultados esperados vão acontecer.
           
“... Segurou a sua Mão e Ajudou-a a Levantar-se...”.

            Quando Jesus chegou à casa da sogra de Pedro, vendo-a deitada, porque estava doente, logo tomou a iniciativa de caminhar em sua direção para ministrar-lhe a cura. Nessa ocasião não houve imposição de mãos, repreensão da enfermidade, ou qualquer outra coisa percebida. Simplesmente Ele a tomou pela mão e a levantou. Observamos que a mulher tomada pela mão e levantada por Jesus, ainda estava doente quando estas coisas aconteceram. Ele não se levantou, portanto, porque tinha sido curada, mas foi curada porque se levantou. A atitude de se levantar antes da cura manifesta, fazia parte de quem não precisava ver os sinais para crer. Uma pessoa assim crê, a despeito das evidências físicas, externas ou materiais.
            O Evangelho de Marcos nos fala desse tipo de fé, em 11:24 “Por isso eu digo: quando orarem e pedirem alguma coisa, creiam que já a receberam, e assim tudo será dado a vocês”.
            Creia que você já recebeu o que ainda não está em suas mãos. Tenha fé que a benção virá como conseqüência de uma fé inabalável na promessa d’aquele que é fiel e Verdadeiro.
            “...A Febre Desapareceu...”
            Agora sim, a evidência de cura se manifesta. Se a febre a deixou é porque aquilo que a provocava não se encontrava mais em seu corpo. Ao se levantar, tomando uma atitude de pessoa curada, a enfermidade teve de dar lugar à cura de Deus. Sim, quando aquela mulher passou a adotar a postura de alguém que fora curada por Deus, ainda que não de forma manifesta, entendeu que o leito de enfermidade já não estava mais em sintonia com o que ela cria e confessava. Foi então que se levantou, ficando logo em seguida livre da febre.
            As nossas atitudes precisam estar em harmonia com a nossa confissão. Se eu confesso cura, as minhas ações devem ser de alguém que se vê curado, ainda que, no início, somente aos olhos da fé (Hb 10.23).
            Em Romanos 4.17 e 21 vemos um exemplo desse tipo de fé: “(Como dizem as Escrituras Sagradas: ”Tenho feito que você seja pai de muitas nações”. Assim a promessa é garantida por Deus, em quem Abraão creu, o Deus que ressuscita os mortos e faz existir o que não existia... porque tinha toda a certeza de que Deus podia fazer o que havia prometido”).
            “... E Ela Começou a Cuidar Deles...”.
            Jesus identificou que aquela enfermidade tinha de ser confrontada, tanto porque maltratava o corpo, quanto impedia uma pessoa preciosa de cumprir o propósito para o qual existia: servir a Jesus e aos seus discípulos. Naquele leito ela estava impotente, incompleta e frustrada. A enfermidade prejudicava o seu corpo, tanto quanto afetava a alma, frustrada pela impossibilidade de servir aos outros. Jesus não apenas restituiu-lhe a saúde, como também o seu ministério atrofiado por uma enfermidade.
            Certa vez, Jesus libertou um homem endemoninhado. Após esse evento, o que fora liberto recebeu a incumbência de voltar para casa e anunciar aos seus parentes tudo quanto o Senhor havia feito por ele (Mc 5.18-20), aquele homem estava aprisionado não apenas no corpo, por espíritos malignos, mas, acima de tudo, em seu ministério. Jesus o libertou no corpo para que ele se tornasse um conquistador de cidades.
            Conclusão: o processo de cura na vida da sogra de Pedro começou com Jesus tomando-a pela mão. Levantando-a pela fé, até que ela dessa conta de que já estava curada, a ponto de sentir encorajado e servi-los. Primeiro teve de se levantar e adotar uma postura de pessoa curada e não mais enferma. Quando adotou essa postura, a febre a deixou.
            Aplicação: Hoje você pode declarar o cumprimento de uma promessa recebida da parte de Deus, antes mesmo que ela se manifeste; assumindo o compromisso de andar de acordo com a sua declaração de fé. Permita o toque do Senhor agora mesmo, em alguma área da sua vida que necessite de cura e restauração. Ele está aqui neste momento. Sinta a sua presença!
            Cura interior
Lidando com a solidão
            Vivendo numa das maiores e mais populosas cidades do mundo ou trabalhando num escritório rodeado de pessoas, ainda assim podemos sentir profunda e esmagadora solidão. Não é espantoso? Apesar dos avanços do século XXI vivemos numa sociedade de pessoas solitárias.
            Na Bíblia, o apóstolo Paulo, um dos mais destacados líderes da igreja primitiva, descreveu episódios de solidão em II Timóteo 4.6-21. Assim, mesmo aqueles que são intensamente espirituais e devotados a Deus, também lutam com as profundezas da solidão. Examinemos algumas causas comuns da solidão e sugestões de como lidar com ela.
            Algumas Causas de Solidão
            Transições na vida - A vida envolve uma série de transições que vai desde o nascimento, passa pelo primeiro contato com a Escola, formatura, primeiro emprego, casamento, paternidade, até à aposentadoria. Toda mudança na vida carrega a tendência para a solidão. 
            Separação - Podemos possuir todas as coisas e ter todo o dinheiro do mundo, mas estar sozinho numa ilha e sentir-se miserável. Fomos criados para estarmos uns com os outros. Alguns mudam de casa e ficam sem raízes. Separações em razão de convocações militares, carreira, doenças, divórcios ou morte podem provocar solidão.
            Oposição - Quando do nos sentimos atacados, ridicularizados ou criticados, há uma tendência para o recolhimento, que gera solidão.
            Rejeição - Quando somos traídos, esquecidos ou abandonados, podemos sentir solidão. Uma de nossas maiores necessidades é a de sermos aceitos. Rejeição causa solidão. 
            Como você tem lidado com a solidão? Alguns usam drogas, bebem, tentam marcar encontros pela Internet ou se valem de outros meios para obter alívio. Certo homem chegou de ir ao médico para ver se tinha "múltiplas personalidades", somente para ter "alguém" com quem conviver! 
            Lidando Com a Solidão
            Utilize seu tempo - Resista à tentação de não fazer nada. Use seu tempo para cuidar de suas necessidades físicas, alimentando-se corretamente, descansando, exercitando-se, evitando drogas e álcool e cuidando de sua aparência. 
            Cuide-se mental, espiritual e socialmente - Não fique viciado em televisão. Leia bons livros e revistas. Cuide de suas necessidades espirituais, lendo a Bíblia. Ela proporciona orientação, instrução, encorajamento e esperança. Ore e passe algum tempo com pessoas que compartilhem sua fé. Cuide de suas necessidades sociais, cultivando amizades. Tome a iniciativa, mas seja generoso e paciente. Amizade leva tempo. Encontre alguém que esteja em pior estado do que o seu e ajude-o. 
            Minimize o sofrimento - Não fique remoendo o sofrimento em sua mente, vezes e mais vezes. Não se torne amargo nem rancoroso. Ninguém gosta de ficar perto de pessoas cínicas ou ressentidas. Aborde o problema, lidando com ele. Não lhe dê demasiada importância, mas ore a respeito. 
            Reconheça a presença de Deus - Onde está Deus quando nos sentimos sozinhos? Deus está em toda parte. Não existe lugar onde estejamos que Ele também não esteja. Ele prometeu: "Nunca o deixarei, jamais o abandonarei" (Josué 1.5). Abra os olhos e reconheça a Sua presença.
            Cura para os traumas familiares Texto: Malaquias 4:6
Introdução:
·         A família influencia e causa um grande impacto em cada um de nós
·         Sua influência pode ser boa ou ruim, para o bem ou para o mal
·         Sua influência afeta nosso caráter e o que seremos no futuro
·         Muitos dos hábitos, sentimentos e princípios que trazemos são recebidos no contexto da família
O PROPÓSITO DE DEUS AO ESTABELECER A FAMÍLIA
·         Marcar-nos com hábitos bons
·         Abençoar-nos com amor, proteção, aceitação, suprimentos, etc
·         Compreender-nos e nos aceitar
·         Fazer-nos pessoas estáveis, seguras e bem afirmadas emocionalmente
O plano de Deus para a família:
·         Deus definiu nossa família para demonstrar atenção, suprir nossas necessidades, suprir nossos sentimentos;
·         Deus planejou com que a família fosse uma escola de treinamento para o êxito na vida (ou seja, para que desde pequenos fossemos valorizados e amados nas pequenas e grandes vitórias)
·         Deus criou a família para que tivéssemos méritos, e através deles (estímulos) não fôssemos pessoas amargas, rebeldes, inseguros...
Porém, o pecado afetou profundamente o propósito original de Deus. Com isto vieram os conflitos familiares (abandono, mágoa, ressentimento, rejeição familiar, ausência dos pais, discórdias, separações, etc) e a conseqüência disto são os traumas familiares.
OS TRAUMAS FAMILIARES
Os traumas familiares são a causa da existência de um grande número de famílias disfuncionais. Família Disfuncional = família que não funciona conforme o propósito de Deus.
Num mundo marcado pelo pecado, as famílias estão esfaceladas, e ao estarem esfaceladas emocionalmente, criam filhos esfacelados. E a cada geração os sintomas vão se agravando...
A célula base da sociedade se tornou um lugar de guerra, discórdias, dissensões, rebeldia, separações. Tem gerado pessoas disfuncionais, com personalidades destruídas, distorcidas, machucadas, feridas, inseguras, rebeldes, etc
Na palavra de Deus nós vemos famílias que passaram por problemas, e que necessitaram de auxílio divino para serem curadas. Vejamos alguns exemplos bíblicos de homens de Deus, que em determinado momento de vida foram instrumentos para ferirem a vida de seus próprios filhos, irmãos, pais, esposas.
A Família de Adão – Gn 4.1-7
Caim e Abel eram diferentes
Caim era lavrador e Abel era pastor de ovelha
Caim trouxe oferta ao Senhor do fruto da terra / Abel trouxe dos primogênitos das ovelhas. “mas para Caim e para a sua oferta não atentou. Pelo que se irou Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante. Então o Senhor perguntou a Caim: Por que te iraste? e por que está descaído o teu semblante? Porventura se procederes bem, não se há de levantar o teu semblante? e se não procederes bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo; mas sobre ele tu deves dominar.
Ø  O Egoísmo, o ciúmes, a inveja e a ira racham a primeira família da terra.
Ø  Caim se irou contra Deus e se desfigurou...
Ø  Conflitos entre os irmãos ainda continuam vivos até o dia de hoje gerando morte nos relacionamentos, morte nos laços de amizade e fraternidade, gerando traumas e feridas.
Ø  À medida que o pecado entra na família, entra também o conflito e os traumas
A Família de Noé – Gn 9.1 ; 20-23
Sendo Noé lavrador, passou a plantar um vinha. Bebendo do vinho, embriagou-se e se pôs nu dentro de sua tenda. Cão, pai de Canaã, vendo a nudez do Pai, fez saber, fora, a seus dois irmãos.
Ø  Uma família com a promessa e incumbência de frutificar e multiplicar entra em conflitos
Ø  Um Pai que não tinha nada que se embriagar, quanto mais estar nu onde não devia
Ø  Um filho que, a despeito do erro do pai, não devia desrespeitá-lo como autoridade.
Ø  Desrespeito mútuo. Difamação familiar
Ø  Insubmissão a autoridades
CONSEQÜÊNCIAS: MALDIÇÃO EM CÃO - Multiplica-se a Rebeldia
A Família de Abraão 
Ø  Abraão vai para o Egito e diz que Sara é sua irmã (isto gera rejeição em Sara – sua esposa)
Ø  Sara rejeita a Agar -. Agar rejeita o filho (Ismael), uma nação inteira é rejeitada
Ø  Uma família de preferências e acepção de filhos: Abraão preferiu Isaque - Isaque preferiu Jacó - Jacó preferiu José - José preferiu Manassés
Ø  Abraão e Ló (Tio e Sobrinho) tiveram que se separar
Ø  Uma família marcada por mentiras, rejeição, acepção de pessoas, separação..
A Família de Jacó 
Ø  José era o filho preferido do Pai . Claro ! Ele era o queridinho da velhice de Jacó!
Ø  José era filho da mulher que ele ’Jacó’ amava.
Ø  Aqui temos uma Injustiça familiar: Jacó faz uma túnica para José (representava a autoridade e realeza que somente os primogênitos teriam direito de recebê-la)
Ø  Aqui temos uma confusão e intriga familiar: Por ser mais amado que seus irmãos, estes o venderam a uma caravana que o levou ao Egito.
Ø  Aqui temos um grande trauma familiar: Quando José foi vendido
·         Trataram-no asperamente (tiraram-lhe a túnica e o lançaram no poço)
·         Deixaram-no preso num poço por 1 noite
·         Venderam José por 20 moedas
·         Mentiram sobre sua túnica (manchada de sangue de animal)
v  No Egito dá a volta por cima e se torna governador
v  Aqui temos um grande trauma familiar:
·         Cerca de 20 anos se passaram
·         A posição de José no Egito não apagou suas feridas
·         José nunca voltou para casa , nem os procurou( por que não? já que agora podia ir ou buscar)
·         O tempo e a posição não podem apagar suas feridas. Elas precisam ser curadas
·         José levava a dor no coração e as feridas de rejeição que ainda carregava contra seus irmãos
Teve 2 filhos: Atestados do seus traumas
Manasses: “Deus me fez esquecer” 
Esquecer do quê? Do seu passado, de seus traumas familiares.  “Eu me esqueço do que meus irmãos fizeram comigo” SERÁ?
Efraim: “Deus me fez próspero na terra da minha aflição”
“Aqui é o lugar que eu estou, mas não é o lugar onde gostaria de estar; eu queria é estar na terra de meu Deus e do meu Pai”. Aflição e dores no meio da prosperidade.
Quando José se depara com seus irmãos, ele prepara uma vingança. Agora ele vai fazer o mesmo que fizeram com Ele. Suas feridas estão vivas em sua mente.
ü  Tratou-os asperamente - Gen 42.7
ü  Os colocou na prisão por 3 dias
ü  Devolve as moedas. Lembrando do barulho das mesmas moedas que seus irmãos receberam na noite em que ele foi vendido.
ü  Mente, devolvendo o dinheiro, diz que eles é que roubaram.
Uma pessoa ferida que está ferindo e escondendo seus traumas familiares
Chora escondido – Gen 42.24 – Choro de uma pessoa ferida.
Ódio e amor se misturam em feridas familiares (Benjamim) Gen 43.29,30
O processo de Cura na Família:
ü  José só se deixou ser tratado quando se fez conhecido de seus irmãos. Quando encarou a realidade e enfrentou-a. Gen 45.1-4.
ü  Desde este momento ele chorou intensamente. O choro que estava engasgado há 20 anos.
ü  Ele chorou a dor da alma que não chorava há 20 anos.
ü  Depois do choro e do perdão ele entrou num processo de cura em seus relacionamentos familiares. Só a partir de então Ele foi um canal de Deus para preservar a vida de sua família e abençoá-la.
Conclusão: Deus ama a família e quer remover todas as mazelas que tenta destruí-la.
Curando a emoção para desatar na unção (Salmo 25.16-22)
Há muitos discípulos paralisados e infrutíferos por causa de feridas na alma. O maligno ataca os seres humanos desde o ventre materno, para que levem, pelo resto de suas vidas, feridas e lembranças que lhes tiram a liberdade e impedem de ser o que Deus quer que sejam.
O inimigo tem atingido a alma de muitos discípulos, fazendo-os melindrosos e refratários a todo nível de confronto, o que lhes impede de serem confortados e consolados. Mas nosso Senhor Jesus, que quer uma Noiva liberta, sadia e sem melindres, agirá a nosso favor e nos curará. Deus quer discípulos plenamente libertos e curados para liderarem o Seu projeto de conquistar territórios aqui na Terra (famílias, cidades, estados, nações). Hoje Deus vai nos confrontar e nos dês - traumatizar, a fim de fazer de cada um de nós líderes de sucesso em todos os níveis de liderança. Aleluia!
COMO SABER SE SOU UM DISCÍPULO COM EMOÇÕES AFETADAS?
São muitas as evidências de alguém traumatizado na alma; dentre elas citamos: mágoas, perfeccionismo, depressão, desvaler, amargura, rejeição, insegurança, medo, fugas, falta de perdão, agressividade, indiferença, complexos, hipersensibilidade, perversões sexuais, ódio.
Os traumas emocionais geram pessoas aprisionadas e limitadas. Afetando seus conceitos, seus valores e sua identidade em Cristo, trazendo a crise e a dor. Desta forma há sofrimento no lar, na célula, na igreja, no trabalho por causa dos relacionamentos mal conduzidos, em virtude daquelas deformidades que estão na alma. Tais pessoas estão em constante conflito consigo mesmo e com os outros, agindo com medo, cobranças e desconfiança, por causa das constantes decepções.
DISCERNINDO OS PRINCIPAIS ALVOS DE SATANÁS:
As crianças são o principal alvo de Satanás, pois ele sabe que se conseguir traumatizar a alma de uma criança, terá grandes chances de produzir um adulto deformado. Antes mesmo do nascimento ele já está agindo por meio das adversidades na concepção e gestação, tentativas de abortamento, brigas do casal, morte, divórcio. Na infância, tenta traumatizar por meio de pais cruéis, abusos físicos, morais e sexuais, castigos desumanos, separação dos pais, morte de pais ou entes muito queridos, brigas do casal, cenas de violência.
Além das crianças, os filhos de Deus também são alvos do maligno, pois ao aceitarem Jesus como Senhor e Salvador muitos sofrem rejeição, calúnia, ódio, mágoa, desprezo dos familiares, parentes, colegas e amigos, o que pode traumatizá-los e gerar feridas emocionais.
MÁGOA – A CADEIA INFERNAL
Satanás sabe que através da mágoa ele pode nos prender às pessoas que nos feriram, porque as feridas prendem pela mágoa. Toda vez que ao ser ferido eu permito que a mágoa entre em meu coração, eu me amarro ao meu agressor pelas cadeias da mágoa e estou pondo em ação mais um plano diabólico contra a minha vida. As cadeias da mágoa PRENDEM O FERIDO A QUEM O FERIU! Ter mágoa de alguém é amarrá-lo a você, é ser escravo dele, ainda que não saiba! Com cadeias de mágoa no coração o discípulo está incapaz de amar e ser amado. Ninguém escolhe ser ferido e nem sempre tem culpa de o ser, mas deixar a ferida crescer e contaminar todo o ser, pela aceitação da mágoa, é abrir porta para Satanás - e isto é pecado!
MÁGOA ALIMENTADA - AMARGURA ENRAIZADA ( Hb 12.15)
Amargura é aquele sentimento de mal-estar produzido pela ferida que foi adubada por ressentimento e mágoa. Sempre que sua mente se detém em lembranças desagradáveis, você está abrindo caminho para que a ferida se degenere em amargura. Se você recebe a ferida e alimenta a mágoa, a amargura virá! Você estará cheio de ódio e falta de perdão.
Uma pessoa amargurada tem a mente cheia de argumentos e possui fortalezas terríveis, com muralhas enormes, na alma. A amargura manifesta-se de várias formas: nas palavras e atitudes (por isso é que contamina) e nas enfermidades físicas e psíquicas. Um líder de sucesso não pode estar enlaçado pela mágoa, nem amargurado, para não contaminar seu território através de suas palavras e atitudes. Alguém pode estar amargurado consigo mesmo, com os outros e até com Deus. A solução para tal flagelo é aplicar o perdão e a Palavra de Deus!
A FORÇA DO PERDÃO (Mt 18. 23-35)
Não perdoar é estar preso ao passado, é ser prisioneiro das pessoas do passado. Perdoe e aja como Deus: seja misericordioso e perdoado. Quem não perdoa é atormentado por verdugos (ou atormentadores). Perdão libera perdão! (Mt 18.35)
Não perdoar é pecado! E isto nos coloca como prisioneiros de Satanás! Só seremos perdoados do pecado de não perdoar, quando liberarmos o perdão para o nosso ofensor (1 Jo 1.9). Um líder de sucesso é alguém que libera o perdão por uma questão de convicção, de fé. Tome uma posição agora mesmo e aceite sua responsabilidade no fato de não perdoar aos que lhe feriram (deixe de culpar os outros por causa do seu pecado de não perdoar). Confesse a Deus o seu pecado de não perdoar, estar magoado e amargurado.
            Pergunte a você mesmo se quer ser curado (Jo 5.6). Peça ao Espírito para lhe mostrar seu real problema e como orar a respeito (Tg 4.3). Perdoe a todos os envolvidos na sua história de dor. Perdoe a si próprio. Assuma sua identidade de liberto em Cristo, vencedor e líder de sucesso quanto sua vida pessoal, familiar, celular, ministerial.
A Amargura
DEFINIÇÃO: Sentimento de mal estar, dor moral, angústia, aflição, dissabor, ansiedade acompanhada de opressões, agonia, tristeza que corrói. Segundo a palavra de DEUS ele nos priva e afasta de sua graça (Hb 12.15)
CAUSAS: Em geral é uma barreira provocada por feridas, ressentimentos e mágoas armazenadas sem perdão, envenenando o ser (espírito alma e corpo), podendo chegar a uma situação em que algum demônio irá lhe dominar nestas áreas.
CONSEQÜÊNCIAS:
ENFERMIDADES FÍSICAS COMO: problemas nervosos, insônia, dor de cabeça, esgotamento, artrite, pressão alta palpitação, taquicardia, úlceras e doenças na pele.
CONTAMINAÇÃO PELA LÍNGUA: amargura é destilada, pois sua língua é afiada para criticar a tudo e a todos, tornando o que esta a sua volta desagradável, provocada mal estar e espírito de rebeldia: Ora, a língua é fogo; é mundo de iniqüidade; a língua está situada entre os membros de nosso corpo, e contamina o corpo inteiro, e não só põe em chamas toda a carreira da existência humana, como também é posta ela mesma em chamas pelo inferno. 
Pois toda espécie de feras, de aves, de répteis e de seres marinhos se doma e tem sido domada pelo gênero humano; a língua, porém, nenhum dos homens é capaz de domar; é mal incontido, carregado de veneno mortífero. Com ela, bendizemos ao Senhor e Pai; também, com ela, amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. De uma só boca procede a bênção e maldição. Meus irmãos, não são convenientes que estas coisas sejam assim. Acaso, pode a fonte jorrar do mesmo lugar o que é doce e o que é amargoso? Acaso, meus irmãos, pode a figueira produzir azeitonas ou a videira, figos? Tampouco fonte de água salgada pode dar água doce. Tiago 3.6-12 
ISOLAMENTO: todos passam a evitar relacionamentos com a pessoa amargurada, devido a suas murmurações e críticas, e isso causa mais dor ainda. A pessoa por sua vez, com receio de ser mais ferida, também se isola.
CULPA: traz consigo uma acusação constante, a qual aponta ao erro e a falta de perdão. O sentimento de culpa responsabiliza a pessoa pelos sofrimentos que a aflige. A falta de perdão faz com que se sinta culpado pela ausência de comunhão com as pessoas, o que leva a sensação de pecado não perdoado por mais que se esforce em fazer coisas boas.
Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantém comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós. (IJO 1.9; 7.10)
RELACIONAMENTOS QUEBRADOS: quando alguém, por falta de perdão, dá lugar à amargura, seus relacionamentos sofrem constantes choques, podendo resultar em separações definitivas. Os relacionamentos quebrados podem ser:
COM OUTRAS PESSOAS: se alguém tem mágoa dos outros, os sintomas são: Ressentimentos, raiva, ódio, vingança, retribuição, podendo chegar ao assassinato (MT 5. 22-24; MT 6.14.15; CL 3.13).
CONSIGO MESMO: quando alguém tem mágoa de si mesmo, os sintomas são sentimentos de culpa, de inferioridade, auto piedade, auto depreciação, complexos, indignidade, vergonha, ódio, podendo levar a atitude extrema de suicídio (RM 8.34; JO 8.10). Enfim, tudo isso leva a pessoa à não conseguir relacionar-se equilibradamente consigo mesma.
COM DEUS: se alguém tem mágoa dele, os sintomas são as dúvidas, o questionamento, a incredulidade e a rebelião. A pessoa passará a duvidar da Palavra: “não consigo mais crer nela” (JO 3.16).
O QUE A PALAVRA DE DEUS NOS DIZ
A ferida traz a mágoa, a mágoa traz amargura (estágio mais profundo e danoso da mágoa), a amargura provoca a quebra de relacionamentos entre os irmãos, que traz cegueira espiritual (trevas). Não andar em comunhão é andar em trevas, o que nos resulta em varias conseqüências (1JO 2.9-11). A cegueira espiritual, que nos impede de agir com sabedoria.
            Se estamos em trevas, não vemos a luz da Palavra, o que nos impede de vermos a nos mesmos e também os outros como realmente são.
Insensibilidade para com os outros, falta de amor = imaturidade emocional. O crescimento emocional só é retomado quando a cura ocorre, e esta somente acontece quando assumimos um compromisso em obedecer a palavra de Deus e andar em sua luz, quando reconhecemos que a mágoa está ali por falta de perdão e pela conseqüente perda de comunhão.
O Novo Testamento tem várias coisas a dizer sobre esta atitude:
Ela precisa ser afastada (Efésios 4:25-32). O apóstolo Paulo lista-a entre muitos outros pecados, e entre aqueles que entristecem o Espírito Santo.
É ligada a maldição (Romanos 3:9-18). Cristãos que nunca amaldiçoariam verbalmente podem ser culpados de “maldição virtual” por sua demonstração de amargura. Isto pode ser apenas em pensamento mas, se não for reprimido, afinal se manifestará em aspereza.
É um veneno espiritual (Atos 8:18-23). Como já foi notado, a Simão — que ao se tornar cristão tinha se arrependido de sua feitiçaria — foi dito que sua amargura era seu veneno que o tinha amarrado pela iniqüidade. Subitamente, sem a atenção das massas, talvez ele tenha ficado ciumento do poder dos apóstolos para conceder o Espírito Santo pela imposição de suas mãos.
Ela pode brotar despercebida (Hebreus 12:12-17). Leia estes versículos e note como o escritor de Hebreus nos conta que precisamos estar “atentando, diligentemente, por que ninguém seja faltoso, separando-se da graça de Deus; nem haja alguma raiz de amargura que, brotando vos perturbe...” (12:15). Se não for reprimida ela pode apoderar-se de nós tão poderosamente que, como Esaú, poderemos não encontrar lugar para o arrependimento, mesmo se o quisermos.
QUEM NÃO PERDOA
É prisioneiro do seu passado - Mt 18.28-30
É prisioneiro das pessoas do seu passado - Jo 20.22-23
Pode ser atormentado por demônios – Mt. 32-35
EXEMPLOS:
Caim: matou Abel por causa da ira que cresceu em seu coração, que se transformou em amargura, ele se magoou com DEUS por este não ter aceitado sua oferta – Gn 4.5-8
Noemi: estava amargurada por se sentir sozinha e culpava o Senhor - Rt 1.20
Ana: orou amargurada- 1 SM 1.10
As mulheres de Esaú: tornaram-se amargura de espírito para Isaque e Rebeca - Gn 26.35.
O PERDÃO NOS TORNA LIVRE EM DEUS:
O perdão é o caminho para a libertação da amargura - Mt 6.9-15
Perdoar é deixar livre, soltar, liberar, despedir, mandar embora, atribuir um favor incondicionalmente aquele que nos feriu. E não considerar o mal causado; é não reter a mágoas ou feridas.
PERDOAR NÃO É ESQUECER, MAS LEMBRAR SEM SENTIR DOR!
           O perdão de DEUS é o padrão para o ser humano. Como DEUS perdoa devemos perdoar. Mt 18.27; Ef 4.32
           Perdão não é sentimento, mas uma decisão da vontade e um ato de obediência a DEUS. A pessoa decide perdoar e o sentimento poderá vir instantaneamente ou depois.      DEUS requer de nós a prática do perdão Mt 6.14-15
Perdoar é necessário para evitar emboscadas de satanás – 2 Co 2.11.
Perdoar deve ser uma prática normal a todos os crentes - Ef 4.31-32; Mt 18.22
PASSOS PARA VENCER A AMARGURA:
• Deixe que o Espírito Santo o dirija, trazendo a lembrança o que precisa ser lembrado.
• Escreva em um papel os nomes das pessoas que o ofenderam.
• Escreva por escrito os maus específicos que sofreu (ex: rejeição, falta de amor, injustiça, abuso físico, verbal, sexual ou emocional, traição, descuido).
• Enfrente a dor do ódio, escrevendo e confessando o que sente contra essas pessoas. Não esconda seus sentimentos, eles também precisam ser perdoados, mesmo que reconhecê-los lhe cause vergonha.
• Reconheça a importância da cruz. Ela faz com que o perdão seja legal e moralmente correto. Lembre-se que a justiça de Deus está na cruz de Cristo – Hb 10.10.
• Decida pôr fim a situação. Isso significa que você não levantará no futuro contra seus ofensores informações sobre o ocorrido. PV 17.9; LC 6.27-28.
• Decida perdoar. Perdoar é uma crise de vontade, uma decisão consciente de deixar a outra pessoa livre e livrar-se ao mesmo tempo do passado. Sua responsabilidade é a de que ele não esteja mais sujeito a você. Portanto libere-o, tomando esta decisão agora mesmo, e com o tempo o sentimento de perdão virá.
• Leve sua lista a Deus e ore perdoando essas pessoas e a ofensa. Se seu sentimento for muito forte, peça ajuda a um líder – Tg 5.16.
• Destrua a lista, pois agora você esta livre.
• Não espere que sua decisão de perdoar resulte em grandes mudanças nas outras pessoas, mas ore por elas, para que encontrem a liberdade do perdão, nem tão pouco espere que elas mudem primeiro para depois terem o seu perdão. Lembre-se o perdão deve ser incondicional – Mt 5.44; Gl 5.1,13, 14.
• Tente compreender as pessoas que você perdoou. Elas são vítimas do pecado.
• Espere resultados positivos de si mesmo.
• Agradeça a Deus pela lição que aprendeu e pela maturidade que ganhou – Rm 8.28-29.
• Aceite as suas partes de culpas nas ofensas que sofreu, confesse seu fracasso a Deus e aos demais envolvidos (I Jo 1.9) e reconheça se alguém tem algo contra você, você deve ir a esta pessoa e resolver a questão pendente. (Mt 5.23-26).
Vença o Sofrimento
Ninguém gosta de sofrer. E a religião tem sido buscada por muitos como uma base para amenizar o sofrimento. Pessoas pregam que se sofremos estamos debaixo de alguma maldição, mas não é isto que diz a palavra de Deus.
Texto: (João 16:33) - Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.
Porque o homem sofre?
O sofrimento veio por causa do pecado de adão e Eva, pois o homem feriu seu livre arbítrio. (Gênesis 3:16) - E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará. (Gênesis 3:17) - E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida. (Lamentações 3:39) - De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados. 
Pela identificação com Cristo
(João 15:18) - Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim. João 15:19) - Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia.
(João 15:20) - Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu SENHOR. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa. Mt 5:10-12
Pela desobediência
(Hebreus 12:6) - Porque o Senhor corrige o que ama, E açoita a qualquer que recebe por filho. (Hebreus 12:10) - Porque aqueles, na verdade, por um pouco de tempo, nos corrigiam como bem lhes parecia; mas este, para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade.
O sofrimento pode ser uma prova de amor e zelo paternal
Plano de Deus
(Isaías 45:7) - Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o SENHOR, faço todas estas coisas. (I Pedro 4:12) - Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse; (Romanos 8:28) - E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.
Como lidar com o sofrimento?
Como devo reagir? A minha reação é positiva ou negativa?
Avaliar o sofrimento
Devemos pedir a Deus discernimento do porque do sofrimento;Você esta sofrendo porque obedece ou desobedece?O seu sofrimento tem te aproximado de Deus?
(I Pedro 4:15) - Que nenhum de vós padeça como homicida, ou ladrão, ou malfeitor, ou como o que se entremete em negócios alheios; 
(I Pedro 4:16) - Mas, se padece como cristão, não se envergonhe, antes glorifique a Deus nesta parte.
Não estranhar o sofrimento
(I Pedro 4:12) - Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse; (I Pedro 4:12) - Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse;
Você deve buscar a paz em Cristo
(João 16:33) - Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. (Filipenses 4:7) - E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus. (Filipenses 4:7) - E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.
Você deve ter bom ânimo
(I João 5:4) - Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé. (Romanos 8:18) - Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.
Você deve sofrer à semelhança de Cristo
(I Pedro 2:21) - Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas.
Jesus sofreu de forma voluntária, imerecida, inocente, humilde, silenciosa e não vingativa (Is53/ 1Pe2:21-25)
Vença a Desesperança
(Lamentações 1:1) - COMO está sentada solitária aquela cidade, antes tão populosa! Tornou-se como viúva, a que era grande entre as nações! A que era princesa entre as províncias, tornou-se tributária!

(Lamentações 3:21) - Disto me recordarei na minha mente; por isso esperarei.
Razões porque devemos ter esperança
Deus é misericordioso
(Lamentações 3:22) - As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; 
           A palavra misericórdia no hebraico “chesedh”,indica o sentimento do coração de Deus pela miséria do homem. É a capacidade de se colocar no lugar do outro, ou seja, ver, sentir e pensar como ele. Deus é misericordioso quando se fez homem, em Cristo Jesus (II Coríntios 1:3) - Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação;
Deus é fiel
(Lamentações 3:23) - Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade.
(Hebreus 12:6) - Porque o Senhor corrige o que ama, E açoita a qualquer que recebe por filho.
Deus é bom
(Lamentações 3:24) - A minha porção é o SENHOR, diz a minha alma; portanto esperarei nele.
(Lamentações 3:25) - Bom é o SENHOR para os que esperam por ele, para a alma que o busca.
(Lamentações 3:26) - Bom é ter esperança, e aguardar em silêncio a salvação do SENHOR. A bondade de Deus inclui benevolência, complacência, misericórdia e graça
Deus nos aperfeiçoa
           Nos momentos difíceis, nas tragédias e dificuldades, Deus está trabalhando no nosso caráter
           (Lamentações 3:27) - Bom é para o homem suportar o jugo na sua mocidade. 
           (Lamentações 3:28) - Assente-se solitário e fique em silêncio; porquanto Deus o pôs sobre ele. 
(Lamentações 3:29) - Ponha a sua boca no pó; talvez ainda haja esperança.
           (Romanos 8:28) - E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.
           (Lamentações 3:37) - Quem é aquele que diz, e assim acontece, quando o Senhor o não mande?
A cura da mente no momento do fracasso
Aceitação
Aceite aquilo que você não pode mudar
Lm2 (Jeremias estava convencido de que o castigo de Deus foi decretado por Deus). Não adianta ficarmos irados com Deus, pois a sua vontade prevalecerá
(Jó 42:1) - ENTÃO respondeu Jó ao SENHOR, dizendo: 
(Jó 42:2) - Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido.
Murmuração
Pare de colocar a culpa nos outros
(João 9:1) - E, PASSANDO Jesus, viu um homem cego de nascença. 
           (João 9:2) - E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? 
 (João 9:3) - Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.
 (Lamentações 3:39) - De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados.
 Assuma seus pecados e seus erros = (Lamentações 3:42) - Nós transgredimos, e fomos rebeldes; por isso tu não perdoaste.
(Lamentações 3:40) - Esquadrinhemos os nossos caminhos, e provemo-los, e voltemos para o SENHOR.
Busque uma visão de Deus
Visão tem que ser uma imagem mental clara de um futuro desejado a partir de uma avaliação do presente.
           (Hebreus 11:1) - ORA, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.
           (Neemias 2:17) - Então lhes disse: Bem vedes vós a miséria em que estamos, que Jerusalém está assolada, e que as suas portas têm sido queimadas a fogo; vinde, pois, e reedifiquemos o muro de Jerusalém, e não sejamos mais um opróbrio. 
           (Neemias 2:18) - Então lhes declarei como a mão do meu Deus me fora favorável, como também as palavras do rei, que ele me tinha dito; então disseram: Levantemo-nos, e edifiquemos. E esforçaram as suas mãos para o bem.
           Não existe visão de Deus fora de sua palavra = (Salmos 19:8) - Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração; o mandamento do SENHOR é puro, e ilumina os olhos.
           Busque a soberania de Deus
           (Salmos 115:1) - NÃO a nós, SENHOR, não a nós, mas ao teu nome dá glória, por amor da tua benignidade e da tua verdade. 
           (Salmos 115:2) - Porque dirão os gentios: Onde está o seu Deus? 
           (Salmos 115:3) - Mas o nosso Deus está nos céus; fez tudo o que lhe agradou.
           (Lamentações 5:19) - Tu, SENHOR, permaneces eternamente, e o teu trono subsiste de geração em geração.
           (Lamentações 5:20) - Por que te esquecerias de nós para sempre? Por que nos desampararias por tanto tempo? 
           (Lamentações 5:21) - Converte-nos a ti, SENHOR, e seremos convertidos; renova os nossos dias como dantes
           Vença a Solidão
           Texto: (Gênesis 2:18) - E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajuda Dora idônea para ele.
           Existem 2 tipos de solidão:
           Isolamento emocional = Produzido pela falta de uma relação profunda e emocionalmente satisfatória com pessoas com nos abrimos. Por exemplo, a relação marido e mulher.
           Isolamento social = Gerado pela ausência de um círculo de amigos ou afastamento da convivência social.
           Porque as pessoas são solitárias?
           Dificuldades pessoais de fazer ou conservar amigos;

• Falta de confiança em sim mesmos e nos amigos;
• Falta de confiança em si mesmo e nos outros;
• Rejeição por parte de pessoas que nos circundam;
• Mudança de residência;
• A morte de uma pessoa amada;
• Namoro desmanchado ou divórcio;
• Ser um líder importante;
• Ser um aposentado;
• Problemas de relacionamento com os pais;
• Principalmente a alienação de Deus.
Sentir solitário, é sentir desligado
Todo mundo tem a necessidade de relações íntimas e sólidas.
A solidão não é necessariamente estar só, a solidão é sentir só
As raízes da solidão
           Um ser social: (Gênesis 1:26) - E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra.
Deus fala na terceira pessoa, pois Ele é uma trindade, necessariamente somos também seres que fomos criados para amar e ser amado, pois somos imagem e semelhança de Deus.
Companhia idônea: (Gênesis 2:18) - E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele. Deus sabia que adão tinha uma necessidade que requeria uma relação íntima, por isso Ele criou Eva, uma companheira complementar.
Isolamento de Deus: (Gn 3:1-24), Com o pecado original adão e Eva acharam-se logo, separados de Deus e um do outro. A intimidade foi aniquilada, porque a integridade fora perdida. (Salmos 25:16) - Olha para mim, e tem piedade de mim, porque estou solitário e aflito. (Salmos 25:17) - As ânsias do meu coração se têm multiplicado; tira-me dos meus apertos. (Salmos 25:18) - Olha para a minha aflição e para a minha dor, e perdoa todos os meus pecados."As raízes da solidão se encontram no pecado"
O Remédio para a solidão:
A vida sem Deus é impessoal e irracional.
Precisamos então, de partilharmos da comunhão com Deus. Como podemos estabelecer relações íntimas com Deus? Tudo começa quando aceitamos um convite de Deus, Ele nos convida para sermos filhos. (João 1:12) - Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;
(Mateus 28:20) - Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.
Princípios práticos:
A solidão é um estado normal que, simplesmente, não podemos evitar. Ela é natural, tendo em vista o estado da natureza humana e da sociedade em que vivemos.
Precisamos enfrentar a solidão para podermos superá-la. Nós mesmos somos responsáveis pela nossa solidão.
É necessário identificar a causa primordial da nossa solidão, para podermos traçar m plano específico de ação.
A intimidade, que é a solução para a solidão, deve ser construída a partir de uma iniciativa nossa. Busque amizade sincera.
(Mateus 28:20) - Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.
Vença o Cativeiro
Texto: (Isaías 40:31) - Mas os que esperam no SENHOR renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.
(Gálatas 5:1) - ESTAI, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão.
(João 8:36) - Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.
O Cristão não pode viver cativo com medo do diabo:
Há cristãos que deixam de deleitar-se nas verdades celestiais, privam-se das delícias do banquete de Deus porque vivem às voltas com uma fobia que lhes rouba toda alegria de viver assentados com Cristo nas regiões celestiais;
Há igrejas que falam mais dele do que do próprio Jesus;
Pessoas que atribuem todos os problemas a ele.
Abaixo alguns versículos que nos liberta deste medo:

(II Timóteo 1:7) - Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.
(Tiago 4:7) - Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.
(Mateus 28:18) - E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.
(Apocalipse 1:17) - E eu, quando vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas; Eu sou o primeiro e o último; 
(Apocalipse 1:18) - E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno.
(I João 3:8) - Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo.
(Colossenses 2:14) - Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. (Colossenses 2:15) - E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo.
(Lucas 9:1) - E, CONVOCANDO os seus doze discípulos, deu-lhes virtude e poder sobre todos os demônios, para curarem enfermidades.
(Marcos 16:17) - E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas;
(Romanos 16:20) - E o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo dos vossos pés. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco. Amém.
O Cristão não pode viver cativo do pecado:
(Hebreus 12:4) - Ainda não resististes até ao sangue, combatendo contra o pecado.
Prefere morrer a ser cativo do pecado: Daniel (leia Daniel capítulo 6) ;
Prefere ir para fogueira que pecar: (leia Daniel capítulo 3)
Prefere ser preso do que pecar: José no Egito;
Prefere ser apedrejado: (Atos 7:59) - E apedrejaram a Estêvão que em invocação dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito
"O Cristão autêntico não consegue viver com máscara como Judas"
(I João 2:6) - Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou.
(I João 3:9) - Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus.
(Salmos 1:1) - BEM-AVENTURADO o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.
Existem pessoas que são escravas da bebida, drogas, homossexualismo, mentira, etc e esquecem do que está escrito na bíblia em: (I Corintios 6:8) - Mas vós mesmos fazeis a injustiça e fazeis o dano, e isto aos irmãos. 
(I Corintios 6:9) - Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, 
(I Corintios 6:10) - nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.
" É escandaloso ver como vivem muitas pessoas que se dizem cristãs e não aparentam nenhuma diferença em relação aos que não conhecem a Deus:
"Outras pessoas praticam as mesmas práticas que condenam. Seus lábios estão cheios de lascívia. Suas mãos cheias de iniqüidade. Suas vestes contaminadas pela sensualidade. Seus pés se apressam para as veredas do pecado. Freqüentam igrejas, mas são cativos e estão nas jaulas do adversário."
O Cristão não pode viver cativo da omissão
Há cristãos que são agentes secretos de Jesus. Sua vida é tão insípida e tão inexpressiva que ninguém nota que eles são de Jesus, se é que são. Vivem calados, quando se trata de falar de Jesus. São destemidos para falar de futebol, moda, filme, novelas, etc. Para falar de Jesus, tem medo, vergonha, etc. (Lucas 9:26) - Porque, qualquer que de mim e das minhas palavras se envergonhar, dele se envergonhará o Filho do homem, quando vier na sua glória, e na do Pai e dos santos anjos. (Mateus 10:33) - Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus.
(Isaías 61:1) - O ESPÍRITO do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; (II Corintios 3:17) - Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade.
Vença através do Perdão
Compreendendo alguns aspectos do perdão
Texto: Mt 18 21-35
(Colossenses 3:13) - Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.
(Efésios 4:32) - Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.
O que não é o perdão
Perdoar é esquecer
"A mente humana é capaz de registrar 800 recordações por segundo durante 75 cinco anos sem falhar"
"Por isso é necessário fazer-se distinção entre esquecimento emocional e mental. Lembrar da ofensa de tal modo que ela continue a afetar o relacionamento emocional não é perdoar." (Hebreus 8:12) - Porque serei misericordioso para com suas iniqüidades, E de seus pecados e de suas prevaricações não me lembrarei mais.
Perdão não é sentimento
(Colossenses 3:13) - Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.
"Perdão é um ato de fé baseado na ordem de Deus"
Perdoar não é voltar ao passado
Sempre que voltamos a pensar no que aconteceu, continuamos alimentando um ressentimento, uma amargura. Trazer o passado de volta é uma força destrutiva por que:
Não há nada que se possa fazer para mudar algo que já aconteceu.
Guardar a culpa tira nossa energia de viver (Salmos 32:1-5)
Não desligar do passado e prosseguir tentando fingir que nada aconteceu, é falta de entendimento sobre o perdão de Deus em nossas vidas. Há pessoas que estão sendo destruídas pelo passado.
Perdão sem exigências
Perdão não é exigir mudanças, por parte da outra pessoa, antes de nosso perdão.
Jesus perdoou mesmo sabendo de antemão que seria humilhado e ferido por nós.
(Lucas 6:31) - E como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira lhes fazei vós, também.
"Quando exigimos mudanças na vida de outra pessoa, nos colocamos no papel de juiz".
O que é o perdão 
A dificuldade do perdão 
Creio que umas das coisas mais difíceis da vida cristã são perdoar, especialmente quando fomos profundamente feridos. Mas mesmo assim é isto que Deus quer. Você já meditou atentamente no quando custou para Deus perdoar a você e a mim? Custou a vida de seu único filho! Que alto preço!
Perdoar vai custar seu orgulho. É não exigir seus direitos. É não vingar. Na realidade, é deixar a pessoa livre, nada devendo. É não querer que a pessoa pague pelo seu pecado.
Perdão e ação.
É dar amor quando ela espera ódio. É dar compreensão quando espera raiva, vingança. É recusar buscar sua própria vontade. Para que haja esta reação é preciso tempo, é preciso que o Espírito Santo faça uma obra de restauração no coração e nos preencha das graças de nosso maravilhoso Deus
Perdoar é substituir
(II Corintios 5:21) - Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus. (Jesus substituiu literalmente, toda nossa transgressão para que fossemos feita justiça de Deus e não nossa)

           Deus quer que fosse perdoe quem o feriu. (Efésios 4:32) - Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo. (Colossenses 3:13) - Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também;
           Deus não permitirá que isso o destrua, bem como seu potencial, seus dons, suas habilidades e sua vida. Isto se você responder positivamente e obediente mente ao ato de perdoar;
           O Senhor é capaz de usar algo muito triste do nosso passado para á gloria Dele. Ele é capaz de transformar tudo que ocorreu, de maneira que redunde em bem para nossa vida, para o outro e para qualquer pessoa envolvida;
           As conseqüências de não perdoar serão desastrosas; (Salmos 32:1) - BEM-AVENTURADO aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto.
           Vença a Ansiedade Texto: Mateus 6:25-34
           Como viver sem se preocupar com a manutenção da vida?
Como obedecer ou praticar este mandamento, nós que vivemos num país com tantas incertezas?
Será possível viver de maneira despreocupada no Brasil?Como?
Entendendo a ansiedade
Ansiosos” vêm do termo grego que significa “distrair” – A idéia é que mente procura seguir em duas direções ao mesmo tempo, resultando em confusão e sofrimento.
(Mateus 6:20) - Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. (Mateus 6:24) - Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom. “O homem que quiser ter um tesouro nos céus e que quiser servir a Deus e não às propriedades deve desvencilhar-se da ansiedade” (Sherman Johnson). Na explicação de Orlando Boyer, a avareza e ansiedade são uma para com a outra, como a lagarta para a borboleta; aqueles que andam aflitos por dinheiro mostram-se avarentos depois de adquiri-los. O amor ao dinheiro produz avareza nos que o têm.
(Colossenses 3:5) - Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, a afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria;
(Colossenses 3:6) - Pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência;
(I Timóteo 6:10) - Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.
           É importante frisar que Jesus não proíbe a prudência que prevê o futuro, mas o afã e o angustiar-se pelo amanhã. Ele proíbe o medo ansioso, enfermo, que é capaz de eliminar toda a possibilidade de alegria da vida presente.
           Razões para vencer a ansiedade
No texto em Mateus (6 : 25-34), Jesus apresenta 8 razões:
Pela vida do Homem
(Mateus 6:25) A personalidade humana merece mais consideração do que a simples satisfação dos desejos físicos
Deus tem cuidado
(Mateus 6:26) e (Mateus 28:20)
A Ansiedade é inútil
(Mateus 6:27)
Analogia das Flores
Mateus 6:28
Para não sermos infiéis como as pessoas que não crêem em Deus
Mateus 6:32 A ansiedade é essencialmente desconfiança para com Deus.
Ansiedade é algo desnecessário
(Mateus 6:32) - (Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas;
Porque Deus nos supriu
(Mateus 6:33)
Ansiedade – Aumenta o sofrimento
(Mateus 6:34) -É loucura sofrer o mal futuro, que nem ao menos existe ainda, juntamente com o sofrimento presente, o é perfeitamente real.
 A importância da providência Divina
Ele preserva e governa nossa vida de modo muito especial 
(Atos 17:28) (Salmos 57:2) (Neemias 9:6)
A providência opera em nosso nascimento (Salmos 139:13-16)
A providência na Salvação (I Tessalonicenses 4:11)
A providência na vida familiar (Salmos 34:10)
Enfim a providência em tudo: (Romanos 8:28) (Romanos 8:32)
Conclusão
É possível vencer a ansiedade ou a preocupação excessiva, descansando na providencia divina, sabendo que Ele suprirá todas as necessidades.
(Lucas 10:41) - E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; 
(Lucas 10:42) - E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.
Voltemos a boa parte que é adorar aos Senhor, pois Ele tem cuidado de nós
Como Vencer o Medo Texto: (2 Co 1.9-10)
Aprenda a colocar a sua confiança em Deus e não em si.
            Há uma tendência de confiarmos em coisas ou pessoas e conseqüentemente temos grandes frustrações, que geram em nós o medo.  Veja (Jr 17.5-9).
            Aprenda a ouvir o que Deus tem para dizer e não as vozes que vem do maligno. (Jr 10.5).
            Deus não antipatiza você: (Is 50.7).
Deus não se vingará em seus filhos:
(Sl 103.9).
            A tribulação, por mais difícil que seja não durará para sempre: (Sl 9.18)
            O mal não triunfará sobre a vida do justo: (Sl 41.11).
            Conclusão: Ouvir a Deus e confiar em suas promessas é o único caminho para a vitória sobre o medo. Em Cristo Jesus você é mais que vencedor!
          
Libertação Financeira Textos: Nm 13:2; Pv 3:33; Sl 109:17-18 
            I – Satanás quer a igreja e os membros pobres 
            Deus quer uma igreja próspera – membros próspero 
            O que é prosperidade bíblica. 
           Saia do ringue – não lute com você - recuse-se a duvidar da Palavra de Deus
           II – Conceitos que atrapalham a prosperidade (engano de Satanás).
           Conceito 1 – uma pessoa ou igreja para agradar a Deus tem que ser humilde e humilde é ser pobre. 
Conceito 2 – espiritualizar as coisas – tudo é espiritual vide II Cor. 8:9 
Conceito 3 – desculpas usando a Palavra “No mundo terão aflições” vide Mat. 5: 11-12.
           Conceito 4 – a visão que tenho de mim não é a mesma visão que Deus tem de mim. 
           III – Conceito de Embaixador – II Cor. 5:20
           Veja Elias e a viúva de sarepta e o povo de Deus no deserto por 40 anos
           IV – Do mundo material para o espiritual
           Veja Abraão e o seu chamado 
           V – O resgate pleno
           Em Êxodo 10:26 Moisés disse a Faraó que nem uma unha ficaria no Egito
           Somos herdeiros através de Cristo de todas as bênçãos de Abraão. 
           Chegou o momento de retirar os obstáculos que impedem a nossa prosperidade 
           As áreas de influência de Mamon (Mt 6:24). 
1 – Espírito de miséria e mesquinhez
2 – Espírito de ansiedade
3 – Espírito de consumismo
4 – Rebelião – I Sm. 15:23 -  
           VII – Fatores de impedem a prosperidade
           1 – Rejeitar a instrução – Js. 1:8 
2 – A preguiça – Pv. 20:13 
3 – O egoísmo – Luc. 6:38 
4 – Esquecer de agradecer a Deus – Dt. 8:17-18 
5 – Oferta sem perdão – Mt. 5:23-24 
6 – Não honrar ao Sacerdote – Ez 44.28-30; Gl 6.6-7. 
7 – Maldições
- Maldições hereditárias – Gal. 3:13 – maldição de miséria
- Maldições diárias atuais – Malaquias 1:13-14 – oferta bichada
- Maldições da língua – Pv. 18:21 – depreciar o que recebe
- Líder que não dá honra ao Senhor – Ml. 2:2 – bazares na igreja para sustento da obra de Deus. 
           8 – Quebra de contrato (caráter) – Mat. 22:17-21 - cumprimento de horários e compromissos, loteria e outros jogos, mentir para manter o emprego, não devolver o que pertence a outro e etc. 
           9 – Jugo desigual – 2 Co 6.14 – Sociedade com ímpio. Deus não divide a sua glória com ninguém (Is 42.8). 
           10 – Rejeição por Israel – Todos os que abençoarem a Israel serão abençoados e todos os que amaldiçoarem será amaldiçoado (Gn 12.3; Sl 122.6).
           11 – Roubo a Deus – Mal. 3:8 
           A – Os dízimos
- Tudo pertence a Deus e Ele quer que devolvemos somente 10%
- O dízimo dever ser entregue na sua igreja
- Dízimo mantém abertas as janelas do céu
- Dízimo não é da lei
- O dízimo é uma bomba relógio
- O dízimo é obediência – I Sm. 15:22
- Dízimo prova a Deus
- O único demônio que não podemos expulsar é o devorador 
b – As ofertas
Marcos 4:26-27
Gálatas 6:7
Lucas 6:38 
12 – Não servir a Deus com alegria e abundância de tudo – Dt 28.47-48 – O nosso Pai nos deu o melhor, Jesus Cristo, o seu único Filho, pela nossa salvação. O que temos dado a Ele? Maldito aquele que faz a obra de Deus relaxadamente (Jr 48.10). 
VIII – Cuidados na Semeadura
1 – O semear com pecado não funciona – Jó 4:8
2 – A qualidade da semente – Oséias 8:7
3 – O tempo da colheita – ansiedade é atuação de Mamon
4 – Tipo de solo – obra de Deus 
5 – A colheita é certa – Marcos 4:29 
Exemplos Bíblicos
- Elias e a viúva de Sarepta – I Reis 17:14 (8-16)
- A multiplicação dos pães e peixes (João 6:1-13
Conclusão
1 – Confesse o seu pecado ao Senhor – Pv. 28:13
Tome autoridade em Nome de Jesus e expulse Mamon de sua vida em Nome de Jesus.
2 – Faça um compromisso com o Senhor de fidelidade nos dízimos e ofertas, e andar em fidelidade em todas as áreas de sua vida
3 – Se você não tem colhido procure onde está o erro e conserte.

Posição em Cristo Texto: 1 Samuel 17:45
Quando imaginamos essa cena é algo tremendo! Davi, um garoto de apenas 15 anos, acostumado com uma vida pacata, cuidando de ovelhas, e de repente se vê diante de um gigante temido por todo um exército, diante de um gigante armado da cabeça aos pés com espada, lança, escudo.... e Davi naquela hora não olhou para o perigo, não se importou com o tamanho do gigante, não mediu e comparou as armas de seu adversário com as suas, até porque ele não tinha armas, mas Davi tomou a arma do posicionamento no Senhor, confrontou, matou e degolou o gigante Golias, porque ele conhecia o Deus a quem ele servia.
Um dos maiores desafios que a igreja do Senhor enfrenta nos dias de hoje, é o de se posicionar verdadeiramente em Cristo Jesus, diante do mundanismo que tem entrado pelas portas da igreja, disfarçado de psicologia, de filosofia, doutrinas humanistas e de muitas atividades e passatempos que são trazidos para dentro da igreja, e que de maneira sutil, vem roubando do povo de Deus o tempo de dedicação à oração.
Que vem sorrateiramente roubando a santidade em nome de uma falsa liberalidade por não se adotar usos e costumes, roubando a fidelidade à Palavra de Deus, que vem minando a fé do povo, trazendo assim a incredulidade e a apostasia, e em alguns casos até mesmo roubando a honra e a glória que devem ser dadas ao Senhor, em virtude das honras que tem sido dada ao homem.
Quando buscamos na Palavra de Deus subsídios para entendermos como de fato devemos nos posicionar com relação a esta grande batalha que enfrentamos, vemos homens e mulheres que nos dão grandes exemplos de servos de Deus que souberam se posicionar com firmeza diante das adversidades, e saíram vencedores como Noé, Davi, Elias, Ruth, Éster. Vemos também no Apóstolo Paulo um grande exemplo, quando ele enfrentava na Igreja de Corinto uma oposição ferrenha à sua autoridade apostólica, e, seus adversários tentavam persuadir a igreja a rejeitá-lo. E o apóstolo defende sua autoridade apostólica, e permanece firme na posição à qual o Senhor Jesus o havia chamado e comissionado. 
Satanás não está brincando de matar, roubar e destruir. Esta é a sua missão, e ele é obstinado por ela.
Não podemos nos iludir, achando que ele vai desistir de nós porque isso não é verdade, ele vai sempre e todos os dias tentar minar as forças da igreja de Jesus Cristo, e com isso o que mais temos visto, é lares, casamentos, ministérios, projetos e sonhos sendo totalmente destruídos e arrasados, porque na hora da batalha não temos nos posicionado em Cristo.
Precisamos assumir nossa posição diante do mundo espiritual. Temos que saber quem somos em Cristo para usarmos os direitos e privilégios decorrentes da autoridade conquistada por Ele na cruz do calvário.
Jesus morreu na cruz no meu lugar. Então é como se eu tivesse sido crucificada juntamente com Ele. Quando Ele ressuscitou, eu ressuscitei com Ele. Quando Ele se assentou à direita do Pai nos lugares celestiais, Ele me levou juntamente com Ele. Portanto, eu estou assentada nos lugares celestiais com Ele. Essa é a minha posição em Cristo Jesus!!! Aleluia!!!
 Fomos resgatados das trevas para sua maravilhosa luz
 Ele nos tirou de um lago horrível, de um charco de lodo 
 Nos colocou na rocha e firmou nossos passos Salmo 40:2
 Perdoou nossos pecados Cl 1:14
 Nos adotou como filhos Ef 1:5
 Nos deu direito de chamar a Deus de Aba-Pai Rm 8:15
 Nos selou com Espírito Santo Ef. 1:13
 E nos fez templo do Espírito Santo I Co 3:16
 Nos constituiu Embaixadores de Cristo II Co 5:20
 Povo eleito, Nação Santa, povo adquirido.....
 Somos propriedades exclusivas de Deus
Como se não bastasse tudo isso, Ele ainda compartilhou conosco a autoridade que Ele recebeu do Pai. E quando cremos nele, nos também recebemos essa autoridade. 
Em Cristo temos autoridade para: 
1.    Pisar em serpentes e escorpiões e sobre o poder do inimigo (Lc. 10:19)
2. Temos autoridade para: expelir demônios (Mc 3:14) 
3. Curar todos os tipos de enfermidade (Mt. 10:1) 
Quando assumimos nossa posição em Cristo, e recebemos dele autoridade, estamos prontos para enfrentar qualquer tipo de desafio que aparecer na nossa frente. Estamos prontos para enfrentar qualquer nível de batalha com as trevas. 
Como soldados do maior exército que existe sobre a face da terra, ao nos posicionarmos em Cristo, estarão prontos para guerrear, e com certeza sairemos vitoriosos.
A palavra nos ensina: “Sujeitai-vos, pois a Deus e resisti ao diabo e ele fugirá de vós”
Se você não se posiciona, o medo toma conta de você. E Se você tem medo, o diabo te derrota. Eu não estou lhe amaldiçoando não. Se você não resistir ao diabo ele não vai fugir.
Então nossa primeira arma contra as astutas ciladas do inimigo é nos posicionarmos em Cristo. Quando nos posicionamos, nos sujeitamos a Deus e quando nos sujeitamos o diabo foge de nós.
Sempre que surgir um desafio, devemos enfrentar agressivamente as forças das trevas, tendo sempre em mente, que quando confiamos no Senhor, Ele nos mostra a estratégia e a solução correta. 
Deus é um Deus de relacionamento, é um Pai apaixonado por sua família, e é justamente o nosso relacionamento com Cristo que nos prepara para as batalhas; sejam elas grandes ou pequenas, sempre sairemos vitoriosos, desde que usemos a arma certa, no local certo, e na hora certa.
Portanto amados, quando o adversário surgir na nossa frente com qualquer tipo de confronto, devemos fazer como Davi fez: Ele buscou direção de Deus, recebeu dele a estratégia (use a sua funda e algumas pedras) e gritou em alta voz:
Golias: “Tu vens contra mim com espada, e com lança, e com escudos, eu porém vou contra ti em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel, a quem tens afrontado”
Reflexão:
Como você tem se posicionado diante dos desafios do dia-a-dia?
Você tem enfrentado os problemas ou tem fugido e se escondido deles atrás de desculpas e argumentos?
O mundanismo tem assolado a sua casa a sua família seus filhos e você por estar fora da posição tem se acovardado e tem deixado o tempo resolver as coisas?
Deus espera de nós apenas a decisão de tomarmos a nossa verdadeira posição em Cristo para nos fazer vencedores em todas as áreas de nossa vida. Amém.